Sistema Imunológico, COVID 19 e Vitamina D

528

O Sistema Imunológico

O Sistema Imunológico constitui a principal defesa do organismo contra agentes infecciosos como o coronavírus. Constituído por uma rede complexa de moléculas (anticorpos), células (diversos tipos de glóbulos brancos), tecidos (linfonodos) e órgãos (medula óssea, timo, amígdalas, adenoides, baço e apêndice) distribuídos pelo corpo, o Sistema Imunológico tem a capacidade de criar defesas contra a entrada de agentes patogênicos invasores (Figura 1).

Esta capacidade é chamada imunidade: pode ser inata (as pessoas já nascem com ela) ou adquirida (estimulada pelo contato com os agentes infecciosos ou pela vacinação). Estudos recentes evidenciaram a efetividade do Sistema Imunológico: o organismo humano é um verdadeiro ecossistema ambulante, constituído por cerca de 6 trilhões de células, que convivem com cerca de 60 trilhões de bactérias e 380 trilhões de vírus, em um estado de equilíbrio dinâmico que conhecemos como saúde.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define saúde como “um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”. Com base nesta definição as pessoas podem organizar os cuidados para a prevenção da COVID 19. Na dimensão física, estão indicados: alimentação saudável; repouso adequado; atividade física; exposição diária ao sol para produção de vitamina D; suplementação de vitaminas (principalmente vitamina D) e medidas higiênicas para evitar a transmissão do vírus.
Para ilustrar a dimensão mental, pode ser citado o livro “O Estilo Emocional do Cérebro”, do Psicólogo Richard Davidson PhD que, com base em numerosos estudos, enfatiza que as emoções positivas como o amor, a alegria, a gratidão, a serenidade, a felicidade, a satisfação e o respeito fortalecem a imunidade. Por outro lado, alerta que as emoções negativas como a ansiedade, a raiva, o rancor, a inveja, a tristeza e o medo favorecem a ocorrência de infecções, em virtude de reduzirem a imunidade.

Na dimensão social, merece ser citado o Estudo do Desenvolvimento do Adulto, realizado pela Universidade de Harvard (EUA), que acompanhou por 75 anos, 724 jovens da cidade de Boston, divididos em 2 grupos, para identificar os fatores que influenciavam sua saúde. O estudo mais longo já feito sobre a vida adulta mostrou que, ao longo da vida, o fator mais influente sobre a saúde e a prosperidade são as boas relações sociais, as amizades.
O Sistema Imunológico protege o organismo contra microrganismos invasores, como vírus, bactérias, fungos e protozoários.

Além disso, remove células mortas na renovação de estruturas e células anormais, resultantes de falhas na reprodução celular, que se não forem destruídas podem originar tumores.

Certas pessoas têm uma clara visão do futuro: o ator Charles Chaplin (1889-1977), que viveu 88 anos, para manter-se saudável recomendava fortalecer a autoestima e as amizades, ressaltando a importância das emoções positivas na imunidade e na saúde, aspectos atualmente reconhecidos pelas Neurociências. A partir dessas informações as pessoas podem estabelecer modelos de autogestão de saúde que ajudarão a superar a atual pandemia e a aumentar seus níveis de bem-estar físico, mental e social no futuro.
A partir do início da pandemia surgiram nas mídias sociais diversos estudos sobre a importância da vitamina D na proteção contra o coronavirus. Estudo divulgado na Alemanha mostrou que as pessoas que morreram de COVID-19 tinham níveis muito baixos de vitamina D. Pessoas com níveis normais apresentaram sintomas sem gravidade e aquelas com níveis mais elevados não manifestaram quaisquer sintomas.

Leia o restante do artigo na revista LUBES EM FOCO – edição 78, apresentada abaixo: