Fiat terá novo compacto no Brasil com plataforma do Peugeot 208

Será o primeiro produto com a base CMP feita em Betim (MG) e deve ser lançado até 2025

2624

Fiat com a plataforma CMPFiat com a plataforma CMP

Fiat com a plataforma CMP – Em março de 2022, a Stellantis prometeu 16 lançamentos até 2025. Ou seja, serão 16 novos modelos na América Latina até 2025 para todas as marcas do grupo, além de reestilizações. Nessa lista está um modelo novo, que está sendo chamado de projeto F1H pela Stellantis e que seria um novo compacto da Fiat com a plataforma CMP, de origem Peugeot/Citroën.

A informação, publicada pelo jornalista Bruno de Oliveira, do site Automotive Business, nos dá um caminho para entender o que será esse novo modelo da Fiat. Primeiro, precisamos relembrar que a marca está em busca de modelos mais rentáveis, aproveitando o que aprendeu com a picape Toro e os SUVs Pulse e Fastback. Segundo, que a plataforma CMP já é produzida na América Latina para o Peugeot 208 (na Argentina) e Citroën C3 (na fábrica fluminense em Porto Real).

Segundo o Automotive Business, a informação foi confirmada por Juliano Almeida, vice-presidente de compras da Stellantis América do Sul. Esse novo modelo faz parte de um novo ciclo de investimentos da empresa, ainda não anunciado – o último ciclo, de 2018, está perto de acabar. Ou seja, podemos esperar esse compacto para essa lista de 2025, principalmente pela velocidade com que a Stellantis desenvolve seus modelos na nossa região.

Não existe uma definição ainda sobre o que será esse novo compacto. É cedo para falar de novas gerações de Pulse e Fastback, mas Argo e Cronos já estão em ciclos de vida bem mais avançados. Já começam a ver uma concorrência mais moderna, com motores turbo, e em gerações mais recentes. O Mobi também pode sumir do catálogo, justamente pelo desejo de valor agregado que a Fiat busca.

Sobre essa plataforma CMP, a Stellantis já conseguiu fazer o 208 e o C3, sendo o primeiro mais refinado e o segundo mais focado em custo. Para a Fiat, pode ser um compacto que substituirá o Argo em uma forma bem mais moderna e alinhada com a concorrência atual, como o próprio 208, Chevrolet Onix e VW Polo, por exemplo.

Adotar a arquitetura CMP faz sentido ao considerar a estratégia global da Stellantis. A fabricante disse, na época em que terminou a fusão entre Fiat-Chrysler e PSA Peugeot-Citroën que a base seria usada por carros compactos de todo o grupo, enquanto os modelos maiores utilizariam plataformas da Jeep. Usar a CMP em todos os compactos ajudaria a reduzir os custos de produção pela economia em escala.