Carros elétricos irão dobrar demanda global por energia elétrica, diz CEO da Tesla

Elon Musk fala em prioridade na expansão de fontes de energia alternativas

150

Demanda global por energia elétricaDemanda global por energia elétrica

Uma das consequências diretas da mobilidade elétrica é o crescente aumento de demanda por energia elétrica. Falando sobre o assunto, o CEO da Tesla, Elon Musk disse nessa semana que se as frotas de veículos forem eletrificados no mundo, o consumo de eletricidade irá simplesmente dobrar.

Diante disso, o número um da Tesla destacou que é urgente a necessidade de expandir as fontes de geração de energia nuclear, solar, geotérmica e eólica. Aumentar a disponibilidade de energia limpa é um desafio que se impõe à medida em que fazemos a transição para a mobilidade elétrica, algo que levará cerca de 20 anos

“Levará mais 20 anos para que os carros sejam totalmente elétricos. É como os telefones, você não pode substituí-los todos de uma vez”, disse Musk em uma palestra transmitida no site Bild.de, acrescentando que cerca de 5% dos veículos são substituídos todos os anos.

Musk também ressalta que quando os carros elétricos prevaleceram, a eletricidade proveniente de fontes de energia de geração intermitente, como a eólica e a solar, por exemplo, precisará ser armazenada, provavelmente por meio de tecnologia de bateria, disse ele.

“Junto com grandes baterias, as duas coisas precisam ser combinadas, energia eólica com baterias e energia solar”, disse Musk.

A preocupação de Elon Musk é pertinente, mas a transição para a mobilidade elétrica ocorrerá em ritmos diferentes nos mercados globais. Ela será mais acelerada na China e União Europeia e em um ritmo um pouco mais lento nos Estados Unidos.

Enquanto isso, nos mercados emergentes como Brasil, Índia e Rússia o cenário de longo prazo ainda não está bem claro acerca de uma adoção massiva de veículos elétricos por questões geográficas, econômicas e energéticas. É necessário acompanhar um pouco mais a evolução do cenário para entender como será a eletrificação nesses mercados.

Fonte: AutoNews