Troller firma parceria para desenvolver sistemas de IA e assistência de condução off-road

Projeto será realizado com o polo de inovação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará

25

Troller firma parceria para IATroller firma parceria para IA

A Troller (montadora cearense comprada pela Ford em 2007) firmou uma parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) para o desenvolvimento de sistemas embarcados baseados em inteligência artificial para aplicação em assistência à condução off-road. O projeto será feito pelo polo de inovação do IFCE, que atuará como Instituição de Pesquisa Científica e Tecnológica (ICT) para receber recursos da Embrapii (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial).

Segundo o supervisor de chassi e powertrain da Troller, Afrânio Costa, a parceria é resultado de uma negociação que vem sendo feita há algum tempo entre as duas organizações. “O objetivo é desenvolver novos sistemas com visão computacional e inteligência artificial que vão aprimorar a direção dos nossos veículos off-road, com o apoio da Embrapii e do Rota 2030”, destaca Costa. “É um ganha-ganha, gerando novas pesquisas e inovações com projetos ligados à indústria”, completa.

Dentro do programa Rota 2030, a Embrapii é uma das instituições credenciadas a receber recursos que antes eram destinados ao pagamento do imposto de importação reduzido (ex-tarifário de 2%) para componentes sem produção equivalente no Brasil. As empresas escolhem as instituições credenciadas para as quais querem direcionar essas verbas em programas de desenvolvimento de seu interesse, com o objetivo de nacionalizar tecnologias usualmente importadas. No caso da Embrapii, os recursos são redistribuídos a ICTs conveniadas, normalmente ligadas a universidades.

Segundo a diretora geral do Polo de Inovação Tecnológica da Embrapii, Cristiane Borges, o acordo com a Troller terá um impacto muito positivo, principalmente na formação dos alunos, que terão a oportunidade de participar de programas voltados ao mercado em novas áreas de tecnologia no setor automotivo. Ela acrescenta que muitos alunos que participam dos projetos são contratados pelas empresas, o que abre novos campos de desenvolvimento profissional.

Entre os mais de 60 projetos que atualmente estão na bancada do IFCE, este será o primeiro do instituto feito com uma montadora. A parceria com a Troller vai envolver diversas áreas da engenharia, incluindo computação, mecânica, mecatrônica, elétrica e telecomunicações, entre outras.

A Troller produz apenas um veículo em Horizonte (CE), o T4, um rústico 4×4 montado em fibra de vidro com estrutura tubular sobre chassi e powertrain diesel adaptado da picape Ford Ranger. Os volumes de produção são baixos: o modelo somou 1.234 emplacamentos em 2019 e 752 de janeiro a setembro deste ano. Contudo, a pequena operação garante amplos incentivos fiscais do regime automotivo do Nordeste, que são usados pela Ford nos veículos produzidos em Camaçari (BA). Pela legislação, a compradora da Troller pode usufruir dos descontos tributários da empresa comprada em toda sua operação na região, desde que mantenha a fábrica aberta e com o mesmo nível de emprego. Por isso a Ford comprou a Troller e não deixa de investir na unidade, desta vez com recursos escalados com o Rota 2030.

“A Troller, por ser cearense, é uma empresa que as ICTs almejam. Do ponto de vista institucional é um grande desejo tê-la como parceira, pela sua importância no âmbito nacional que agrega bastante ao ecossistema. Vai ajudar bastante em todos os sentidos”, diz Tarique Cavalcante, diretor de inovação do IFCE.

O polo de inovação IFCE está entre as três instituições que mais contratam projetos Embrapii na região Nordeste, ao lado do Senai e da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), na Paraíba. Criado em 2015 com a proposta de desenvolver 52 projetos até 2021, superou a meta dois anos antes. Hoje, soma 64 projetos financiados em parceria com empresas de diferentes setores e regiões, principalmente do Sul e Sudeste. Este ano, renovou o programa para a realização de mais 50 projetos.