Novo Audi A3 Sedan é um Golf com grife

Nova geração do sedã premium mantém a plataforma MQB e o entre-eixos, mas ganha em tecnologia. No Brasil, chega até 2021 como importado

114

Audi A3 Sedan

A Audi revelou nesta terça-feira (21) a segunda geração do A3 Sedan. O três-volumes premium mantém a plataforma MQB usada pelo modelo antigo, incluindo os 2,64 metros de entre-eixos, mas recebeu diversas atualizações.

Comecemos pelas demais dimensões, que cresceram: 4 cm em comprimento (para 4,50 metros), 2 cm em largura (1,82 m) e 1 cm na altura (1,43 m).

Audi A3 Sedan
(Divulgação/Audi)

Com a redução de 0,8 cm no ponto H do motorista, o espaço para a cabeça na fileira dianteira cresceu quase 2 cm, de acordo com o fabricante.

Mas o balanço traseiro do sedã é basicamente o mesmo, o que significa que o volume do porta-malas foi mantido em 425 litros.

 (Divulgação/Audi)

Apesar da manutenção da base, a mesma do novo Golf, o A3 Sedan ganhará uma nova motorização 1.5 turbo com injeção direta de 150 cv e 25,5 kgfm, auxiliado por um sistema híbrido parcial de 48V.

(Divulgação/Audi)

Ele recupera parte da energia dissipada nas frenagens para gerar 5,1 kgfm extras de torque durante retomadas a regimes mais baixos de rotação. Nesta configuração, o câmbio é automatizado de dupla embreagem com sete marchas.

Além dele, o modelo renovado deve contar com uma versão de entrada formada pelo mesmo 1.5 turbo, mas sem o conjunto híbrido, com opção de caixa manual de seis relações, e outro 2.0 turbodiesel também com 150 cv.

Mais adiante, a Audi deve apresentar versões de cunho esportivo com motorizações mais potentes.

Por fora, as principais mudanças estão na dianteira, com balanço maior, grade alargada e faróis que lembram os do novo Q3 e trazem, na versão de topo, leds matriciais com 15 segmentos de atuação independente para otimizar a iluminação. O para-choque também é inédito.

A traseira também recebeu novas lanternas e para-choque, assim como as rodas são inéditas.

Por dentro, quadro de instrumentos digital de 10,25 polegadas com três modos de tela, central multimídia MIB 3 de 10,1 polegadas com Wi-Fi a bordo, carregador de celular por indução, navegador com informações de tráfego em tempo real, rádio digital e opções de criar até seis perfis de usuário.

O pacote de assistência ativa à condução traz controle de cruzeiro adaptativo com atuação longitudinal e lateral, frenagem autônoma anticolisão, câmera de 360° e assistência a tráfego cruzado.

O novo A3 Sedan será lançado na Europa no terceiro trimestre e já tem até preço: 27.700 euros (R$ 160.000) para a versão de entrada e 29.800 (R$ 172.000) cobrados pela híbrida parcial.

No Brasil, o novo A3 Sedan deve chegar entre o fim do ano e 2021, importado, o que significa o fim de sua produção nacional em São José dos Pinhais (PR).

Por aqui, é possível que haja a substituição do trem de força pelo já conhecido 1.4 turbo flex que rende os mesmos 150 cv e 25,5 kgfm, mas atua a regimes um pouco mais elevados e, portanto, com menos eficiência em consumo.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da edição de abril da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.