GM mantém estratégia do diesel nos EUA

146

Na contramão do Dieselgate, GM mantém estratégia do diesel nos EUA. O Dieselgate arrastou meio mundo do diesel para a vala com o escândalo da fraude nas emissões de óxido de nitrogênio, que se descobriu depois ser altamente nocivo e o pior, foi deliberadamente ignorado pela União Europeia durante mais de uma década. Assim, em especial no mercado europeu, as vendas de carros com motor diesel despencaram e lançamentos recentes nem mais contemplam o uso desse tipo de combustível.

Na contramão do Dieselgate, GM mantém estratégia do diesel nos EUA
Na contramão do Dieselgate, GM mantém estratégia do diesel nos EUA

No entanto, alguns fabricantes “não-germânicos” continuam a investir no diesel, mas de todos, o que mais chama atenção é a General Motors. A fabricante americana não só mantém sua oferta de modelos com esse combustível nos EUA, como até preservou seu centro de desenvolvimento de motores na Europa, de onde saiu após a eliminação da Chevrolet e a vendas das marcas Opel e Vauxhall para o grupo francês PSA.

Para quem arrumou as malas e partiu, deixar para trás um centro especializado em propulsores que estrategicamente não teriam muito sucesso na nova ordem mundial (sem diesel), a GM foi bastante ousada. Localizada em Turim, Itália, a instalação de pesquisa da empresa gerou o novo motor diesel de seis cilindros em linha 3.0 Duramax para uso em picapes grandes no mercado americano. Esse propulsor, por exemplo, não cabe nas Chevrolet Colorado e GMC Canyon, por exemplo.

Na contramão do Dieselgate, GM mantém estratégia do diesel nos EUA

Como a GM não pode se utilizar da igualmente italiana VM Motori, pois esta é da FCA, a saída foi desenvolver os próprios motores diesel para os EUA, se aproveitando da expertise europeia nesse tipo de motor. Mas, o grande seis em linha não será o único a sair de Turim. De acordo com Pierpaolo Antonioli, presidente da GM Powertrain Torino, haverá motores diesel compactos de três e quatro cilindros.

GM mostra ousadia

A declaração mostra que a GM está sendo ainda mais ousada no desenvolvimento de motores diesel para carros de passeio. Para uma companhia que enxugou quase toda a operação global, apostar no óleo combustível nessa altura do campeonato parece ir de fato na contramão do fluxo. O alvo desses motores serão os Chevrolet Cruze e Equinox, que hoje usam o motor diesel 1.6 CDTI comprado da PSA. Segundo a montadora, a aposta é de ampliação das vendas nos EUA.

Mas como? A GM se baseia nos ex-donos de Volkswagen TDI. São mais de meio milhão de consumidores que foram obrigados a entregar seus carros e que não tiveram da marca alemã uma compensação em termos de produto de mesmo nível de consumo. Sem outras opções diesel na VW, ficaram órfãos. Então, é aí que a Chevrolet vê um caminho.

[Fonte: Auto News Europe]