Shell vende negócios de varejo e lubrificantes na Rússia para LUKOIL

47
Português
Español/Castellano
English


Shell vende negócios na Rússia

Shell vende negócios na Rússia – Shell assina um acordo para vender a Shell Neft LLC, proprietária dos negócios de varejo e lubrificantes da Shell na Rússia, para a PJSC LUKOIL. O acordo inclui 411 estações de varejo, localizadas principalmente nas regiões central e noroeste da Rússia, e a planta de mistura de lubrificantes Torzhok, a cerca de 200 quilômetros a noroeste de Moscou.

A Shell Neft LLC é de propriedade integral da Shell Overseas Investments B.V. e B.V. Dordtsche Petroleum Maatschappij.

A rede de varejo da Shell Neft consiste em 240 sites de propriedade da Shell, 171 sites de propriedade de revendedores (e 19 sites de Trademark License Agreement que estão fora do escopo desta transação com a Lukoil).

O valor da transação é confidencial, segundo um porta-voz da Shell.

A Lukoil é uma das maiores empresas de petróleo e gás de capital aberto e verticalmente integradas do mundo em termos de reservas e produção comprovadas de hidrocarbonetos; e o segundo maior produtor de petróleo bruto na Rússia. Fundada em 1991, a Lukoil atualmente opera globalmente com ativos principais de upstream localizados na Rússia. O ciclo de produção completo inclui exploração, produção e refino de petróleo e gás; produção de petroquímicos e lubrificantes; Geração de energia; comercialização e distribuição.

“Nossa prioridade é o bem-estar de nossos funcionários”, disse Huibert Vigeveno, diretor de Downstream da Shell. “Sob este acordo, mais de 350 pessoas atualmente empregadas pela Shell Neft serão transferidas para o novo proprietário deste negócio.”

“A aquisição dos negócios de alta qualidade da Shell na Rússia se encaixa bem na estratégia da LUKOIL de desenvolver seus canais de vendas prioritários, incluindo varejo, bem como o negócio de lubrificantes”, disse Maxim Donde, vice-presidente de vendas de produtos refinados da LUKOIL.

O acordo com a LUKOIL segue o anúncio da Shell no início de março de sua intenção de se retirar de todos os negócios com hidrocarbonetos russos de maneira faseada e será realizado em total conformidade com as leis e regulamentos aplicáveis.

A venda deve ser concluída ainda este ano, sujeita à aprovação regulatória.

Por: Boris