Contaminação causa danos nos sistemas de injeção – Parte IV

50
Português
Español/Castellano
English

Marcos Thadeu Lobo

Engenheiro Mecânico Graduado pela Universidade Estadual de Campinas ( Unicamp ). Exerce, atualmente, a função de Consultor Associado na empresa QU4TTUOR CONSULTORIA.

Cuidados com os sistemas de injeção

  1. CUIDADOS NECESSÁRIOS QUANDO DA TRANSFERÊNCIA, ARMAZENAMENTO E DISPENSA DO COMBUSTÍVEL

1.1. Drenagem semanal dos tanques de armazenamento de combustível para remoção de água decantada e borra.

1.2.  Limpeza interna dos tanques de armazenamento de combustível, no máximo, a cada 05 anos para remoção de sedimentos.

Figuras 1/2 – Drenagem e limpeza de tanques de armazenamento de combustível.

1.3. Manter, se possível, rotina de drenagem dos tanques de combustível “on-board” dos equipamentos móveis: semanalmente em ambientes com muito pó em suspensão e a cada 03 meses em condições normais.

Figuras 3/4 – Drenar, se possível, os tanques de combustível “on-board”.

1.4. Manter limpos os bicos de dispensa de combustível e os bocais de enchimento.

Figuras 5/6 – Manter limpos os bicos de dispensa e bocais de enchimento.

1.5. Manter em bom estado de conservação e limpeza as mangueiras, gaxetas, retentores etc., os tanques de armazenamento de combustível em granel e as bombas de transferência e dispensa de combustível.

Figuras 7/8 – Manter os tanques de armazenamento, sistema de filtração, movimentação e dispensa de combustível em bom estado de conservação.

1.6. Utilize sistema de filtração a cada movimentação de combustível  efetuada, como por exemplo: do tanque de armazenamento de combustível para comboio de abastecimento; do comboio de abastecimento para tanque de combustível “on-board” do equipamento móvel; da bomba de dispensa de combustível para tanque de armazenamento de combustível “on-board” do equipamento móvel; do caminhão-tanque para tanque de armazenamento de combustível em granel.

Figuras 9/10 – Filtração a cada movimentação de combustível.

1.7. Não utilizar contentores abertos para movimentação de combustível.

Figuras 11/12 – Combustível deve ser transportado em contentores fechados.

1.8. Adquira combustível de fornecedores confiáveis e efetue ensaios de qualidade antes da descarga do caminhão-tanque ( CT ).

Figuras 13/14 – Efetuar ensaios de qualidade antes da descarga do CT.

1.9. Repare prontamente quaisquer vazamentos de combustível.

Figuras 15/16 – Repare vazamentos de combustível o quanto antes.

1.10. Utilize filtro dessecante e para material particulado sólido em respiradouro de tanques de armazenamento de combustível em granel e comboios de abastecimento.

Figuras 17/18 – Filtro dessecante e para material particulado em respiradouro.

1.11.  Nunca opere equipamento móvel sem a tampa do bocal de enchimento do tanque de combustível “on-board” e, se possível, instale capa protetiva sobre a tampa do bocal de enchimento.

Figuras 19/20 – Não opere equipamentos móveis sem a tampa do bocal de enchimento do tanque de armazenamento de combustível “on-board”.

1.12.  Caso a tampa do bocal de abastecimento no tanque de armazenamento de combustível “on-board” do equipamento móvel não estiver provendo selagem adequada, substitua-a imediatamente.

Figuras 21/22 – As tampas do bocal de abastecimento devem prover selagem adequada. Se isto não estiver ocorrendo, troque-a de imediato.

  1. SUBSTITUIÇÃO DOS FILTROS “ON-BOARD” DE COMBUSTÍVEL

2.1. Siga o programa regular de substituição de filtros de combustível “on-board” recomendado pelo OEM no programa de manutenção preventiva.

Figuras 23/24 – Seguir a periodicidade de substituição recomendada pelo OEM.

2.2. Mantenha os filtros de combustível “on-board” dentro das embalagens originais seladas até o seu uso.

Figuras 25/26 – Manter o filtro na embalagem original até o uso.

2.3. Não efetuar pré-enchimento do filtro de combustível novo visto que, ao se efetuar esta operação, determinado volume de combustível sem filtração será enviado ao sistema de injeção.

Figura 27 – Combustível sem filtração adequada: principal causa de falhas em sistemas de injeção.

2.4. Procure utilizar filtros de combustível “on-board” de qualidade assegurada com vistas a maximizar a proteção ao sistema de injeção.

Figuras 28/29 – Usar filtros de combustível “on-board” de qualidade assegurada prolonga a vida em serviço das unidades de injeção.

  1. CUIDADOS A SEREM TOMADOS QUANDO DA REALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO EM MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA CICLO DIESEL 4T

3.1. Efetuar remoção dos resíduos do compartimento do motor de combustão interna Ciclo Diesel 4T antes de se retirar os filtros “on-board” de combustível e outros componentes do sistema de injeção.

Figuras 30/31 – Limpar o compartimento do motor antes de qualquer manutenção no sistema de injeção.

3.2. Em equipamentos móveis “off-road” sugere-se usar jato de água de alta pressão para remover sujeira acumulada no motor de combustão interna Ciclo Diesel 4T antes de remover o cabeçote ou o cárter para reparos.

Figuras 32/33 – Lavar o motor com jato de água antes de remover o cabeçote.

3.3. Apertar firmemente os bujões ou tampas (ex. reservatório de compensação do sistema de arrefecimento; tampa do bocal de enchimento de óleo lubrificante; bujão de dreno do cárter) durante as operações de manutenção, mesmo que o reparo tenha seja por curto período de tempo.

Figuras 34/35 – Tampas e bujões apertados firmemente durante manutenção.

3.4. Peças reutilizáveis devem ser limpas com solvente adequado e secadas cuidadosamente.

sistemas de injeçãosistemas de injeçãoFiguras 36/37 – Peças reutilizáveis devem ser limpas com solvente adequado e secadas cuidadosamente.

3.5. Mantenha as peças novas dentro das embalagens originais até que venham a ser utilizadas.

Figuras 38/39 – Peças novas dentro da caixa até o uso.

3.6. Não deixe peças novas ou retiradas durante a operação de desmontagem e em condições de uso armazenadas, ainda que provisoriamente,  ao tempo, no piso da oficina ou  sobre bancadas que não estejam devidamente limpas.

Figuras 40/41 – Peças devem ser armazenadas em locais adequados.

3.7. Componentes do sistema de injeção de combustível somente devem ser manuseados com luvas adequadas. Nunca com as mãos descobertas.

Figuras 42/43 – Uso de luvas adequadas quando de manuseio de peças do sistema de injeção de combustível.

3.8. Retentores, quando retirados do motor de combustão interna Ciclo Diesel 4T, não devem ser reutilizados e devem ser substituídos por novos e sem uso.

Figuras 44/45 – Retentores avariados devem ser substituídos por novos.

3.9. Inspeção visual regular deve ser realizada nas conexões da linha de combustível que conecta o tanque de combustível “on-board” do equipamento móvel à bomba de combustível de alta pressão em busca da detecção prematura de vazamentos de combustível.

Figuras 46/47 – Inspeção visual regular para detecção prematura de vazamentos

O uso de adequado sistema de filtração para combustível (Óleo  Diesel Rodoviário B S500/B S10; OC A1; Óleo Diesel Marítimo DMA/DMB; OCM 120/180/380) é de vital importância na garantia do Nível Geral de Limpeza nos modernos sistemas de injeção de combustível utilizados em motores de combustão interna Ciclo Diesel 4T como, por exemplo, os do tipo Common Rail que são muito sensíveis à presença de material particulado sólido abrasivo e água em função das diminutas folgas dinâmicas dos componentes em movimento relativo e do nível de acabamento superficial das superfícies metálicas usinadas.

Economizar em sistema de filtração de combustível é certeza de elevação de indisponibilidade de equipamentos móveis devido a falhas em sistemas de injeção de combustível.

 

 

 

 

 

Figuras 48/49 – Material particulado sólido e água: inimigos a serem eliminados

 

Outros artigos do Autor

Ruler Test monitorando os antioxidantes nos óleos de turbina

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado pela Universidade Estadual de Campinas ( Unicamp ). Exerce, atualmente, a função de Consultor Associado na empresa QU4TTUOR CONSULTORIA. Ruler...

Contaminação causa danos nos sistemas de injeção – Parte IV

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado pela Universidade Estadual de Campinas ( Unicamp ). Exerce, atualmente, a função de Consultor Associado na empresa QU4TTUOR CONSULTORIA. Cuidados...

Contaminação causa danos no sistema de injeção – Parte III

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado pela Universidade Estadual de Campinas ( Unicamp ). Exerce, atualmente, a função de Consultor Associado na empresa QU4TTUOR CONSULTORIA. Sistema...

Contaminação causa danos no sistema de injeção – Parte II

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado pela Universidade Estadual de Campinas ( Unicamp ). Exerce, atualmente, a função de Consultor Associado na empresa QU4TTUOR CONSULTORIA. Sistema...

Contaminação causa danos no sistema de injeção – Parte I

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado pela Universidade Estadual de Campinas ( Unicamp ). Exerce, atualmente, a função de Consultor Associado na empresa QU4TTUOR CONSULTORIA. Sistema...