Indústria de motocicletas vive momento de retomada gradual de atividades

Produção se intensificou no final de maio, com 80% das fábricas em operação. No varejo, a média diária de vendas cresceu 10,7% na primeira semana de junho.

54

industria de motocicletas

A indústria de motocicletas do Brasil registrou em maio 14.609 unidades produzidas no Polo Industrial de Manaus (PIM), de acordo com dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo.

Este volume representa alta de 887,8% em relação a abril (1.479 unidades), mês em que a produção ficou praticamente paralisada, com 70% das fábricas do PIM sem atividade. Na comparação com maio do ano passado (100.998 unidades), houve queda de 85,5%.

Em maio as fábricas repassaram para as concessionárias 18,3 mil motos, total 255% maior que o de abril, mas 80,8% mais baixo pela comparação interanual. O acumulado dos cinco meses teve 300,9 mil unidades entregues à rede, 34,1% a menos do que em iguais meses do ano passado.

Indústria de motocicletas praticamente parou em abril

“A produção do segmento ficou praticamente estagnada em abril, já que 70% das fábricas da indústria de motocicletas paralisaram suas atividades produtivas como medida de prevenção e segurança de seus colaboradores diante da pandemia da covid-19”, explica Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.

No início de maio metade do total de fábricas de motocicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus – PIM já haviam voltado a funcionar com adoção de medidas preventivas para a segurança dos colaboradores, tais como medição de temperatura na entrada, alteração do layout produtivo de forma a ampliar o espaço físico entre os trabalhadores, mudanças no sistema de ônibus fretado para assegurar o distanciamento entre os passageiros, fornecimento de máscara de proteção e álcool em gel 70% e outras. Além disso, todas contam com ambulatório médico pronto para prestar qualquer tipo de atendimento aos colaboradores.

Fermanian alerta que devido ao cenário atual as projeções para 2020 do segmento de motocicletas serão revistas. “Não resta dúvida que os resultados do segmento serão impactados pela pandemia da covid-19. Por isso, iniciaremos agora um processo de revisão dos números.”