Produção de motos passa de 100 mil unidades em março, apesar do coronavírus

Resultado destoa da indústria automobilística porque as fábricas de Manaus pararam mais tarde

61

Produção de motosProdução de motos

A produção de motos em março foi a melhor do ano, com 101,4 mil unidades fabricadas em Manaus (AM) e alta de 7,4% sobre fevereiro. O crescimento no setor destoou da desaceleração na indústria automobilística porque as fábricas instaladas no Amazonas pararam um pouco mais tarde que no restante do País.

O aumento da produção em março também foi motivado pelo maior número de dias úteis (22, ante 19 em fevereiro) e por causa das vendas aquecidas. Das dez associadas à Abraciclo, entidade que reúne fabricantes do setor, sete registraram alta na produção em março. No acumulado do ano foram fabricadas 296,1 mil motos, 7% a mais que no primeiro trimestre de 2019.

A Abraciclo recorda que a interrupção da produção nas fábricas foi motivada não só como medida preventiva à Covid-19, mas também pela perspectiva de baixa atividade comercial em todo o País. “Os resultados serão sentidos no balanço de abril”, afirma o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian.

VENDAS NO ATACADO

Diferentemente da produção, as vendas no atacado começaram a refletir em março as dificuldades do comércio por causa da pandemia. As fábricas de Manaus repassaram às concessionárias 92,9 mil motos, volume 0,9% menor que o de fevereiro. No acumulado do ano foram 277,4 mil motos, apenas 2,5% a mais que em igual período do ano passado.

EXPORTAÇÕES

As exportações em março somaram 2,7 mil motos, volume 14% mais alto que o de fevereiro. No acumulado, porém, as 6,8 mil unidades enviadas ao exterior apontam queda de 40% em relação ao primeiro trimestre de 2019. A Argentina permanece como principal destino das motos brasileiras (40% do total) e explica a retração no comércio exterior.

O segundo maior destino são os Estados Unidos. Os números aguardados para abril serão ainda piores por causa das medidas adotadas pelo Brasil e seus parceiros comerciais para impedir o avanço do coronavírus.

LICENCIAMENTOS

O total de emplacamentos em março foi de 75,3 mil unidades, recuando apenas 5,6% na comparação com fevereiro. A queda foi amenizada pela demanda aquecida no segmento de entregas como consequência do isolamento social e aumento de pedidos de comida e mercadorias por telefone e internet. O trimestre teve 246,8 mil unidades licenciadas, 4,6% a menos na comparação com iguais meses do ano passado.