Honda registra patente de moto menor que a Monkey

76

Honda mini-MonkeyHonda mini-Monkey

Honda mini-Monkey – Sucesso nos anos 1960 e 1970, a pequenina Honda Monkey foi relançada na Europa em uma versão totalmente repaginada, repleta de elementos modernos, como painel digital, farol em LED, freios ABS, entre outros.

Pensada para deslocamentos curtos pela cidade, a moto é dotada de motor monocilíndrico de comando único no cabeçote de 125 cm³ refrigerado a ar, que entrega 9,38 cv de potência máxima a 7.000 rpm e torque de 5.250 giros. Sua transmissão é de quatro velocidades e o tanque de combustível tem capacidade para somente 5,6 litros, e sua autonomia, segundo a fabricante, é de 67 quilômetros por litro.

Honda Monkey pode ganhar versão ainda menor
Honda Monkey 2018: teremos uma versão ainda menor? (Divulgação)

A pequena Monkey pesa apenas 107 kg em ordem de marcha, possui rodas de 12 polegadas e suspensão que deixam seu assento a apenas 775 mm do chão. Ou seja, é uma moto bem pequena, opção interessante para todos os tipos de usuários.

Porém, de acordo com informações de sites internacionais, a Honda vem trabalhando em um modelo ainda menor. A marca registrou patentes que indicam isso, pois o desenho mostra uma motocicleta com dimensões ainda menores do que a da Monkey.

Patente Honda Monkey
Patente da “Honda mini-Monkey”: será que deixa de ser apenas um desenho para tornar-se realidade? (Reprodução)

As principais diferenças estão no chassi, que mostra ser um pouco menor do que o da pequena moto, se assemelhando ao dos scooters. Pelo desenho, seu motor é menor do que o da versão “convencional”, e deve ter entre 100 e 110 cilindradas contra 125 cm³ da Monkey. Ele é encaixado embaixo do assento, enquanto na Monkey “convencional” o propulsor fica em frente ao tubo central do chassi, do mesmo jeito que nas demais motos.

Honda, Monkey, John Lennon, motos, funbike, Europa, Beatles, volta, pequena, ciclomotor, motociclismo, Revista Motociclismo, Motociclismo Online, retorno, motoneta

Segundo o projeto, o tanque de combustível, que já é de dimensões compactas, também será reduzido, assim como o espaçamento entre os componentes da motocicleta. A transmissão pode ser automática como a dos scooters, enquanto a da pequenina é de quatro velocidades por corrente. Inclusive especula-se que essa “mini-Monkey” pode até ter uma versão elétrica.

Relançada na Europa em 2018, a Monkey não é comercializada no Brasil. Ela esteve por aqui ano passado, durante o Salão Duas Rodas, e ficou exposta na parte interna da boutique da marca em todos os dias do evento, despertando a curiosidade dos fãs que visitaram o estande da Honda.

Como toda patente, pode ser que ela sequer seja produzida, mas parece ser uma mini-moto bem promissora. Vamos aguardar os desdobramentos e ver se ela ganhará as linhas de produção ou se apenas fará parte dos arquivos do mundo motociclístico.