China reduz drasticamente importação de óleos básicos da Coréia do Sul

66

óleos básicos

Óleos básicos da Coréia do Sul

As importações chinesas de óleos básicos da Coréia do Sul caíram significativamente no meio deste ano, após várias inaugurações e expansões de fábricas na China, disse uma analista do setor em uma conferência no mês passado. Uma das principais razões para o declínio é a crescente capacidade da China de fabricar óleos básicos do Grupo II.

A China importou 1,5 milhão de toneladas de óleos básicos durante o primeiro semestre de 2019, um aumento de cerca de 3% em relação ao mesmo período do ano passado. Para julho, no entanto, o nível das importações caiu 31% ano a ano, para um nível mais baixo em seis anos, segundo o fornecedor de informações do mercado petroquímico ICIS.

Os óleos básicos sul-coreanos ainda desfrutam de uma participação de 34% nas importações durante o primeiro semestre, mas o volume dessa participação caiu 9% em comparação com o mesmo período de 2018.

Produção local de óleos básicos é objetivo

Atualmente, a China produz 5,2 milhões de toneladas por ano e outros 3,4 milhões estão em construção, segundo a Sinopec.

“A capacidade doméstica garante suprimento suficiente”, disse Whitney Shi, analista sênior da ICIS, em 19 de setembro, na Enmore Lubricants and Raw Materials Summit. “Além disso, a qualidade foi amplamente melhorada nos últimos anos para substituir uma boa quantidade de óleos coreanos do Grupo II”.

Como a guerra comercial em curso entre a China e os Estados Unidos prejudicará o setor manufatureiro da China, Shi previu que a demanda do país por óleos básicos provavelmente permanecerá baixa no quarto trimestre de 2019.

Outra razão para o declínio nas importações da Coréia do Sul é o aumento da oferta das refinarias do Oriente Médio, especialmente as dos Emirados Árabes Unidos e Catar, disse Shi.

“Vimos uma oferta crescente de óleos do Grupo III no Oriente Médio e na Malásia. Eles estão conquistando a fatia de mercado dos óleos coreanos”, continuou ela.

Tecnologia CTL transforma carvão em óleos básicos

Entre as novas capacidades chinesas, os participantes da conferência Enmore citaram uma fábrica de CTL, que transforma carvão em líquido, produzindo básicos do Grupo III, aberta na província de Shanxi pelo Grupo Lu´An. A gigante doméstica de carvão começou a vender esses óleos básicos em junho. De acordo com vários participantes do evento, a qualidade desses óleos é alta e estimulará a demanda por eles.

“As refinarias coreanas provavelmente verão as exportações para a China continuarem caindo nos próximos anos”, disse Shi.

Poucas mudanças foram vistas internamente no lado das exportações. A China afrouxou o controle sobre as exportações de óleo básico em 2016, mas ainda não emitiu nenhuma política de incentivo para incentivar mais exportações. Segundo a ICIS, a Sinopec é atualmente o principal exportador de óleo base na China, mas esses óleos, principalmente os Grupos I e II, são enviados principalmente para Cingapura para suprir sua própria empresa comercial.