Análise de óleos em uso – Parte 4

53
Português
Español/Castellano
English

Revista Lubes em Foco edição 91

Clique na revista e leia, baixe ou compartilhe os artigos:


 

Análise de óleos em uso

Introdução

Nos artigos anteriores, foram mencionadas a importância do monitoramento de lubrificantes como ferramenta de manutenção preditiva e preventiva (Lubes em Foco nº88), boas práticas na coleta de amostras (Lubes em Foco nº89) e seleção de análises para o monitoramento (viscosidade cinemática , IA, e IB – Lubes em Foco nº90 . Neste artigo serão abordados os ensaios e teor de água e teor de elementos.

Teor de Água

A água é um contaminante indesejado para o bom desempenho dos lubrificantes, especialmente os de base mineral. Ela pode afetar a capacidade de formar a película protetora adequada sobre a superfície metálica, além acelerar os processos de oxidação e corrosão e de ser veículo para a entrada de outros contaminantes como poeira, substâncias químicas dissolvidas e microrganismos.

Existem várias formas de se identificar a presença de água em lubrificantes:

  • Visual
  • Água por destilação
  • Água por Karl Fischer

Quando visualmente se percebe a presença de água em uma amostra através de turvação ou até mesmo de água livre no frasco de coleta, recomenda-se confirmar imediatamente que se trata de contaminação da carga de lubrificante e não do processo de coleta da amostra. Confirmando a contaminação da carga, deve-se proceder o mais breve possível à correção deste problema através da retirada da água da carga ou através da troca da carga. É importante identificar a origem da contaminação para que ela não ocorra mais.

O método de água por destilação consiste em misturar a amostra com solvente mais leve que, com aquecimento, evapora e arrasta as moléculas de água presentes na amostra. No condensador, a água condensa e se deposita em um trap (figura 1) com medição de volume. Com a quantidade de água medida neste trap e a quantidade de amostra analisada, determina-se o percentual em volume de água. Ele mede quantidades de 0 a 25% de água e não possui precisão para medir concentração baixa de água.

O método de água por Karl Fischer permite a dosagem de concentrações inferiores de água e existem dois métodos:

  • Karl Fischer Coulométrico
  • Karl Fischer Volumétrico