XIII Encontro Internacional com o Mercado trouxe informações e novidades

227
Português
Español/Castellano
English

Encontro Internacional com o Mercado

Encontro Internacional com o Mercado

Encontro Internacional com o Mercado – Com um público recorde de 394 participantes, o XIII Encontro Internacional com o Mercado – América do Sul, promovido pela Editora Onze, produtora também da revista Lubes em Foco, apresentou, nos dias 20 e 21 de junho, no Hotel Windsor Flórida, Rio de Janeiro, 21 palestrantes com diversos temas sobre Economia, mercado, tecnologia e perspectivas gerais para os lubrificantes. O evento trouxe também participantes de vários países de diversos continentes e, juntamente com um espaço de exposição de estandes, ofereceu grandes oportunidades de negócios e networking.

Na palestra de abertura, a Economista da Firjan, Dra. Janine Pessanha, fez um resumo dos impactos mais recentes de alguns aspectos da Economia global e da Indústria Automobilística Brasileira, lembrando que a Conjuntura de curto prazo é animadora, mas ainda existe incerteza e velhos desafios a serem superados. “A saída para a situação brasileira passa necessariamente por reformas estruturais, como a tributária e a administrativa, para viabilizar o equilíbrio fiscal. O cumprimento das novas regras fiscais será determinante para a redução da percepção de risco, na recuperação da confiança e na retomada sólida do crescimento econômico”, disse a Dra. Janine.

Os números do mercado brasileiro de lubrificantes foram apresentados pelo Editor-Chefe da revista Lubes em Foco, Pedro Nelson Belmiro, mostrando um crescimento de 1,9% no primeiro quadrimestre de 2023, em relação ao mesmo período do ano passado. As importações de óleos básicos chegaram a 203.743 m3 significando um aumento de mais de 22% em relação ao primeiro quadrimestre de 2022.

O CEO da Raízen Lubrificantes, Sandro Brito, mostrou aspectos que tanto desafiam como trazem oportunidades ao produtor de lubrificantes, desde a transformação energética em curso no mundo todo, até a importância da diferenciação da marca, por meio da qualidade e tecnologia, passando por toda a cadeia de valor até o consumidor final. Brito ressaltou que algo em torno de 40% dos problemas principais do mercado são relacionados à qualidade, sendo o restante ligados a questões fiscais como vendas sem nota fiscal ou utilização de valores inferiores para tributação.

O painel de mercado colocou junto as principais entidades do setor, como o IBP, o Simepetro e o Sindilub, que elencaram pontos importantes e algumas ações que essas entidades já estão realizando para o desenvolvimento amadurecido e sustentável do mercado brasileiro de lubrificantes.

A representante da I.C.I.S., Amanda Hay, mostrou que a empresa tem uma perspectiva mais conservadora sobre a demanda global de óleos básicos, devida principalmente a fatores econômicos como a baixa velocidade de recuperação da China, alguns países com ameaças de recessão, e uma fraqueza de fatores macroeconômicos que pesarão sobre o mercado.

Já o representante da Chevron Base Oil, trouxe um grande questionamento sobre a velocidade de entrada dos carros elétricos no mercado, lembrando que atualmente existem mais de 1 bilhão de veículos no mundo, quase todos com motores de combustão interna e a eletrificação dessa frota traz um desafio enorme com relação à infraestrutura. Somente no Reino Unido serão necessários entre 300 mil a 720 mil pontos de recarga até 2030, o que significa uma média de mais de 100 pontos adicionados por dia, enquanto a média atual está em torno de 23. Christian lembra ainda que a Alemanha já colocou oposição aos esforços da União Europeia para banir os motores de combustão interna até 2035 e também acredita que esses motores ainda irão mover o mundo por mais algumas décadas.

O painel de óleos básicos foi também bastante esclarecedor, com a presença dos produtores nacionais, Petrobras, Acelen e Lwart que juntamente com o importador Iconic Base Oil falaram sobre pontos importantes como a capacidade das refinarias em abastecer o país com o grupo I, a produção de grupo II pelo rerrefino e também o projeto já em andamento do Polo Gaslub do Rio de Janeiro para também produzir o grupo II nas instalações do antigo Comperj e as facilidades para importação de qualquer tipo de básicos que o mercado possa demandar.

Ainda no primeiro dia, foi oferecido um coquetel de boas-vindas no terraço do Hotel Windsor Flórida, quando então os participantes puderam ampliar sua rede de contatos e conversar animadamente sobre planos futuros e amenidades.

O segundo dia foi marcado por palestras técnicas, envolvendo as tecnologias utilizadas tanto para o desenvolvimento de lubrificantes industriais como automotivos, atendendo às mais recentes especificações de motores. Também, importantes conceitos técnicos sobre materiais e equipamentos para a fabricação de rótulos e embalagens foram apresentados ao grande número de grandes e pequenos produtores presentes ao evento.

Os principais pontos dessas apresentações técnicas serão em breve levados aos leitores das newsletters quinzenais divulgados no Portal Lubes, por meio de resumos e notícias específicas. Também um relato mais detalhado sobre o XIII Encontro Internacional com o Mercado – América do Sul poderá ser encontrado na próxima edição da revista Lubes em Foco.

O espaço de exposição recebeu empresas nacionais e estrangeiras, tornando-se um movimentado veículo para troca de informações, apresentações de empresas e produtos e oportunidades de negócios.

De acordo com o diretor da Editora Onze, Gustavo Zamboni, esse o evento está em um caminho crescente. “O grande interesse do público e a procura por estandes, com a presença de empresas estrangeiras que vieram pela primeira vez, nos mostram que a tendência do evento é de crescimento e possibilidade de mais eventos em áreas específicas, como graxas e óleos industriais”, comentou Zamboni.