EPA propõe padrões de emissões mais rígidos

73
Português
Español/Castellano
English
Padrões de emissões mais rígidos
Um carro elétrico com uma estação de carregamento localizada em um parque da cidade. © Scharfsinn

Padrões de emissões mais rígidos

Padrões de emissões mais rígidos – A Agência de Proteção Ambiental dos EUA propôs nesse mês abril novos padrões de emissões federais mais rigorosos para veículos leves, médios e pesados para o ano modelo 2027 e além. Os impactos esperados incluem o uso mais amplo de tecnologias de redução de dióxido de carbono e uma transição mais rápida para veículos elétricos.

Sobre os novos padrões leves e médios propostos, “a EPA projeta que, para a indústria como um todo, espera-se que os padrões impulsionem o uso generalizado de filtros para reduzir o material particulado da gasolina e estimulem uma maior implantação de tecnologias de redução de CO2 para veículos movidos a gasolina”, disse a agência em um comunicado à imprensa. “Os padrões propostos também são projetados para acelerar a transição para veículos elétricos.”

Os “Padrões de Emissões Multipoluentes para Veículos Leves e Médios modelos dos anos 2027 e posteriores” baseiam-se nos padrões de emissões existentes da agência para carros de passeio e caminhões leves para os modelos dos anos 2023 a 2026. A nova proposta visa alavancar os avanços em tecnologias limpas para reduzir ainda mais a poluição climática e as emissões de fumaça e fuligem.

A agência afirma que a proposta para os veículos de serviço leve e médio evitaria o lançamento de 7,3 bilhões de toneladas de emissões de CO2 até 2055, o equivalente a eliminar todas as emissões de Gas do Efeito Estufa do setor de transporte dos EUA por quatro anos.

A proposta considera uma ampla variedade de tecnologias de controle de emissões disponíveis, e a agência afirmou que os padrões são projetados para permitir que os fabricantes atendam aos padrões baseados em desempenho que funcionam melhor para suas frotas de veículos.

A EPA projeta que os veículos elétricos (VEs) poderiam representar 67% das vendas de novos veículos leves e 46% das vendas de novos veículos médios no ano modelo 2032. Os padrões propostos para veículos médios do ano modelo 2032 resultariam em uma redução de 44% nas emissões de gases de efeito estufa, em comparação com os padrões do ano modelo 2026, enquanto para os de serviço leve a redução seria de 56%.

Os “Padrões de Gases de Efeito Estufa para Veículos Pesados – Fase 3” se aplicariam a veículos pesados – como caminhões de entrega, caminhões basculantes, caminhões de serviços públicos, trânsito, transporte, ônibus escolares – e caminhões normalmente usados para transportar cargas. Os padrões complementariam os padrões de poluição de critérios para o ano modelo 2027 e iriam além dos veículos pesados que a EPA finalizou em dezembro de 2022 e representa a terceira fase do Plano de Caminhões Limpos da EPA. A proposta usa padrões baseados em desempenho que permitem aos fabricantes obter conformidade com base na composição da frota.

Na regra proposta, a EPA disse acreditar que o aumento da aplicação de tecnologias de emissão zero no setor de veículos pesados apresenta uma oportunidade para fortalecer os padrões de GEE, o que pode resultar em reduções significativas nas emissões de veículos pesados.

Entre outras coisas, a proposta pede a adição de requisitos de garantia para baterias e outros componentes de veículos pesados de emissão zero e exige monitores de estado de saúde da bateria voltados para o cliente para veículos híbridos plug-in e elétricos a bateria.

A proposta é projetada para evitar 1,8 bilhão de toneladas de CO2 até 2055, o equivalente a eliminar todas as emissões de gases de efeito estufa de todo o atual setor de transporte dos EUA por um ano inteiro.

A EPI também está propondo um conjunto adicional de padrões de CO2 para veículos pesados que começariam a ser aplicados no ano modelo 2028, com padrões progressivamente mais rigorosos a cada ano modelo até 2032.

Informações sobre as regras propostas estão disponíveis no site da EPA. site da EPA.