Mercado de Lubrificantes brasileiro inicia o ano em queda

1404
Português
Espanhol/Castellano
English

Volume de lubrificantes

Volume de lubrificantes

Volume de lubrificantes – O Mercado Brasileiro de Lubrificantes teve um desempenho fraco em janeiro de 2022, com uma queda de 8% em relação a dezembro do ano passado. Se considerarmos o desempenho de janeiro de 2021, a queda foi bem mais acentuada, chegando a 18,6%. O fraco desempenho seguiu na esteira da produção automotiva que caiu 27,4% com relação a janeiro de 2021.

O volume de lubrificantes vendidos em janeiro de 2022 foi de 98.681 m3, tendo a Vibra Energia arrancado na frente com uma participação de mercado de 18,32%, seguida de Iconic com 15,1%, Moove com 14,7%, Shell com 11,9% e Petronas com 7,4%.

Alguns fatores foram bastante impactantes para esse fraco desempenho. Várias montadoras deram férias coletivas prolongadas, a escassez de componentes eletrônicos continua e a variante ômicron também atuou negativamente sobre a força de trabalho, causado um índice bastante elevado de afastamento de funcionários.

Essa relação direta com a indústria automobilística pode ser notada quando observamos a queda dos volumes de óleos lubrificantes do ciclo Diesel e do ciclo Otto, que caíram 21,3% e 32,6% com relação a janeiro do ano passado.

Com exceção dos óleos de pulverização agrícola que tiveram um volume superior e 20,2%, devido ao bom desempenho da safra agrícola, todos os outros segmentos apresentaram queda de vendas, em relação a janeiro de 2021.

Ainda é cedo para uma projeção mais criteriosa para o mercado de lubrificantes, depois do ótimo desempenho do ano passado, porém, é importante notar que a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores – ANFAVEA trabalha com uma projeção de alta de 8,5% para este ano e, também, é esperado mais um recorde de produção da safra agrícola. Esses dois fatores são de grande importância para a avaliação do mercado de lubrificantes.