Mercado de lubrificantes mantém ritmo forte em julho

314
Português
Español/Castellano
English

Mercado de lubrificantes do Brasil 

Mercado de lubrificantes do Brasil 

O mercado de lubrificantes do Brasil apresentou em julho um volume de vendas de 125.566 m3, sendo esse o segundo melhor mês do ano, ficando atrás apenas do recorde atingido em março. Esse bom desempenho deveu-se principalmente ao segmento de óleos para motores diesel, que mostrou um aumento de 12,7%. com relação ao mês anterior.

Outro segmento que contribuiu muito para o resultado positivo de julho foi o de transmissões e sistemas hidráulicos, com um crescimento de 8,9%, relativos ao mês de junho.

Já o segmento de óleos para motores do ciclo Otto teve queda de aproximadamente 1,8%, em relação a junho.

Mercado de lubrificantes alinhado com a indústria automotiva

Esses números estão bem alinhados com o desempenho da indústria automotiva, que viu seu segmento de veículos pesados crescer 1,42% em julho, atingindo no período de janeiro a julho de 2021 um aumento de 47,7%, em relação a 2020, configurando assim o melhor desempenho desse segmento nos últimos sete anos.

De acordo com a Fenabrave, essa reação aos estímulos da economia também vem impactando o segmento de motos, que obteve um crescimento significativo, da ordem de 44,7% sobre os primeiros sete meses do ano passado, atingindo o maior volume de vendas para o período nos últimos seis anos.

Enquanto isso, o segmento de veículos leves não conseguiu acompanhar esses bons desempenhos, pois continua sofrendo com a falta de componentes eletrônicos, e pode ter deixado de produzir quase 130 mil veículos no primeiro semestre de 2021.

Importação de óleos básicos

O Brasil importou em julho 84.276 m3 de óleos básicos, um aumento de 165,4% em relação ao mês anterior, atingindo um total nos sete primeiros meses de 557.635 m3, superando os anos de 2020 e 2019 em mais de 81%.

Do total importado em julho, cerca de 73% vieram dos Estados Unidos, outros países seguem na lista de envio para o Brasil, estando na ordem: Malásia, Coréia do Sul, Barein, Catar, Índia e Suécia.