Óleos de Motor seguem avançando

157

Óleos de Motor

Português Espanhol/Castellano English

Óleos de Motor

Em 1º de maio de 2020, o API começou oficialmente a licenciar óleos de motor de acordo com as normas de desempenho ILSAC-GF-6A, ILSAC-6B e API SP. Essas normas foram projetadas para fornecer proteção contra “low-speed pre-ignition” (LSPI), proteção contra desgaste da corrente de distribuição, melhor economia de combustível e proteção de depósito de alta temperatura para pistões e turbocompressores, e controle mais rigoroso de depósitos e verniz. Desde então, o API licenciou óleos de motor atendendo aos novos padrões do ILSAC para empresas de 35 países ao redor do mundo, incluindo o Brasil. Até o momento, cerca de 4.000 produtos ILSAC GF-6A e mais de 200 produtos ILSAC GF-6B foram licenciados.

Em 1º de maio de 2021, a especificação ILSAC GF-5 tornou-se obsoleta oficialmente e os óleos que antes eram licenciados e formulados para atender ao ILSAC GF-5 não são mais elegíveis para exibir a marca “Starburst” da Certificação API. A marca será reservada exclusivamente para óleos ILSAC GF-6A, que são compatíveis com ILSAC GF-5 e outras especificações de desempenho anteriores. O American Petroleum Institute (API) está recomendando ao mercado que ofereça agora apenas óleos de motor ILSAC GF-6. Isso permitirá que se consolide o número de óleos que os centros de lubrificação oferecem e garantirá que os óleos mais avançados cheguem aos motores. Prevemos que mais óleos GF-6A e GF-6B serão licenciados este ano, principalmente agora que a norma ILSAC GF-5 está obsoleta.

A especificação ILSAC GF-6B destina-se apenas a óleos OW-16 e representa óleos de viscosidade SAE ainda mais baixas. A nova marca “Shield” da Certificação API foi introduzida para eliminar a confusão e equívocos dos consumidores em relação a esses óleos. Eles são compatíveis retrospectivamente apenas com óleos de motor de Conservação de Recursos (Resource Conserving) OW-16 API SN, que atualmente são recomendados pelos fabricantes de veículos para uso em alguns veículos mais novos. No entanto, a tendência a óleos de baixa viscosidade veio para ficar e espera-se que estes se tornem predominantes no futuro.

Finalmente, a especificação complementar API SP também foi introduzida ao mesmo tempo e os óleos que atendem ao desempenho API SP são retrospectivamente compatíveis com API SN ou óleos anteriores. É importante notar que os óleos API SP atendem aos requisitos nos quais o óleo SN PLUS é recomendado. Na verdade, todos os óleos licenciados para exibir o Símbolo de Serviço do API “Donut” são automaticamente licenciados para exibir SN PLUS na parte inferior do “Donut”, mas os comerciantes reservam o direito de optar por não exibi-lo.

Garantindo a Qualidade do Óleo no Mercado

O Programa de Auditoria Pós-Venda do API (AMAP) está focando em testar os óleos de motor API SP, ILSAC GF-6A e GF-6B em 2021 para garantir que os produtos licenciados estejam de acordo com as novas normas rigorosas e necessárias para uso nos motores a gasolina atuais. O objetivo é testar até 1.300 amostras de óleo de motor embalado e a granel este ano mundialmente. Os óleos para motor movidos a gasolina responderão por cerca de 60% dos testes e os óleos para motores movidos a diesel representarão cerca de 40% dos testes em 2021. É esperado que cerca de 500 amostras de fluido de escape diesel (agente redutor de NOx) sejam testadas como parte do programa AMAP.

O programa AMAP supervisiona a amostragem de óleos licenciados pelo API no mercado e os testa para verificar a conformidade com as normas de óleos de motor. Isso garante confiança na qualidade dos óleos de automóveis licenciados pela API no mercado aos comerciantes de petróleo, distribuidores, instaladores e consumidores.

Como funciona o AMAP

Os óleos de motor licenciados pelo API são comprados no mercado e testados para determinar suas propriedades físicas, químicas e de desempenho. Os resultados são comparados com formulações licenciadas na base de dados do API. Óleos a granel também são testados. Óleos que apresentam conformidade mostram resultados consistentes com as formulações registradas e atendem aos requisitos do programa nos testes. Todas as amostras passam por análise elementar, análise de viscosidade a 100°C, teste de alta temperatura / alto cisalhamento, análise de partida a frio, bombeabilidade e volatilidade. Os óleos também podem ser testados quanto a formação de espuma, estabilidade ao cisalhamento e oxidação, entre outros. As embalagens dos produtos são inspecionadaspara garantir que exibam corretamente as marcas API, cumpram os requisitos de licenciamento e apresentem os códigos de rastreamento do produto. Se um óleo licenciado não corresponder aos dados físicos e químicos registrados no API, o API trabalhará com o licenciado para avaliar a não conformidade e tomar as medidas corretivas apropriadas.

Leia o restante do artigo na revista LUBES EM FOCO – edição 82, apresentada abaixo:



#portallubes #lubrificantes #graxas #carros #automóveis #Motos #motocicletas #caminhões