Indústria argentina tem queda de produção e de vendas em fevereiro

Recuo foi de 10,3% na montagem de veículos e de 2,3% nas entregas aos concessionários; já as exportações tiveram alta

67
Indústria argentina tem queda
Linha de produção da fábrica da FCA/Stellantis em Córdoba, na Argentina

Indústria argentina tem queda

A Adefa, associação das fabricantes de automóveis da Argentina, divulgou seu balanço mensal referente a fevereiro na quarta-feira, 3, segundo o qual as montadoras instaladas no país produziram 21.809 unidades no mês, o que representa queda de 10,3% em relação a janeiro e de 16,5% na comparação com o mesmo mês de 2020, quando foram fabricados 26.133 veículos.

A entidade lembra, contudo, que é preciso levar em conta o fato de o mês ter contado com apenas 12 dias úteis de produção (seis a menos que no ano passado). Além disso, quatro fabricantes interromperam suas atividades no mês, por conta de férias e de adequação das linhas de produção. Assim, no acumulado do ano o setor soma 46.117 veículos produzidos no primeiro bimestre, o que equivale a uma retração mínima de 1,5% ante 46.816 unidades que deixaram as fábricas no mesmo período de 2020.

“Passados os meses de férias nas fábricas, estamos vendo números de produção, venda e exportações similares aos do mesmo período de 2020, o que significa que já recuperamos os níveis pré-pandemia e com expectativa de melhora para o resto do ano”Daniel Herrero, presidente da Adefa.

Condições para manter o setor sustentável

Mesmo com esse otimismo, o dirigente afirmou que deve seguir trabalhando em conjunto com as empresas integrantes da cadeia de valor na elaboração de projetos de lei para serem enviados ao Congresso que permitam criar condições para manter o setor sustentável, mesmo após o presidente Alberto Fernández anunciar um pacote de projetos que visa impulsionar a produção de veículos elétricos naquele país.

Ainda de acordo com a Adefa, as exportações em fevereiro contabilizaram alta de 26,3%, com 15.055 unidades, em relação ao total de janeiro (11.924 veículos). Já na comparação com o mesmo mês de 2020 – quando foram embaraçados 18.115 automóveis – houve recuo de 16,9%. No total do bimestre, foram enviados 26.979 veículos para o exterior, número 0,6% superior às 26.806 unidades exportadas no mesmo período em 2020.

As vendas internas no atacado aos concessionários, por sua vez, refletiram os dados da produção e registraram queda de 2,3% em relação ao total comercializado em janeiro. Foram 26.676 veículos no segundo mês do ano, contra 27.303 em janeiro. Na comparação com fevereiro de 2020 (que teve 27.191 vendas), a queda foi de 1,9%. No acumulado do ano, as fábricas entregaram 53.979 veículos para as concessionárias, o que corresponde a uma alta de 2% frente as 52.918 unidades vendidas nos dois primeiros meses do ano passado.