Limpeza do lubrificante é fundamental para os sistemas hidráulicos

132

Marcos Thadeu Lobo

Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional de Suporte Técnico em Produtos. E atualmente exerce a função de Consultor Técnico Sênior.

Limpeza do lubrificanteLimpeza do lubrificante

Em recente estudo de caso, as dimensões de material particulado sólido abrasivo foram controladas através de sistema de filtração e concluiu-se ter ocorrido um dramático aumento na vida em serviço de bombas de recalque em sistemas hidráulicos e de mancais de rolamento lubrificados por sistemas de circulação a óleo quando a maior parte do material particulado sólido abrasivo com dimensões superiores a 3 mícron foram removidas do óleo lubrificante.

Limpeza do lubrificanteFiguras 1/2 – Controle de contaminação de material particulado sólido através de melhoria no sistema de filtração do óleo lubrificante.

Vários motivos levam à diminuição da vida em serviço de mancais de rolamento lubrificados por sistemas de circulação a óleo e bombas de recalque em sistemas hidráulicos sendo, no entanto, as principais:

Limpeza do lubrificanteFiguras 3/4 – Sistema hidráulico e lubrificação de mancais de rolamento por circulação de óleo.

 

  1. Abrasão causada por inserção de material particulado sólido abrasivo com dimensões de 3–5 mícron nas folgas dinâmicas separadas pelo filme de fluido lubrificante.
  2. Grande concentração de material particulado sólido abrasivo de pequenas dimensões em movimento de rolamento, sob pressão, contaminando o filme de óleo lubrificante. Este processo leva, eventualmente, à fadiga de superfície do metal que compõe o elemento de máquina provocando a formação de pitting e, por fim, falhas catastróficas em mancais de rolamento lubrificados por sistemas de circulação a óleo e bombas de recalque em sistemas hidráulicos.

Vamos analisar, abaixo, 02 situações monitoradas no presente estudo de caso:

Limpeza do lubrificanteFigura 5 – Sistema hidráulico operando com óleo lubrificante em distintos Níveis Gerais de Limpeza

  1. Sistema hidráulico ou circulatório operando com  óleo  lubrificante  em Nível Geral de Limpeza 21/18 ( segundo o Código de Contaminação de Partículas Sólidas ISO 4406:1999 ) situação na qual 4.375 kg de material particulado sólido abrasivo passaram através da  bomba de óleo lubrificante a cada ano ( 175 sacos plásticos de 25 kg de material particulado sólido abrasivo ) sendo a   vida  útil   em serviço estimada da bomba de óleo lubrificante de, aproximadamente, 2 anos.
  2. Sistema hidráulico ou circulatório operando com óleo lubrificante em Nível Geral de Limpeza 14/12 ( segundo  o Código   de     Contaminação de Partículas  Sólidas  ISO 4406:1999 ) situação na qual 25 kg de material particulado sólido abrasivo passaram através  da bomba de óleo lubrificante a cada ano ( 1 saco plástico de   25 kg   de material particulado sólido abrasivo ) sendo a vida útil em serviço estimada da bomba de   óleo lubrificante de, aproximadamente, 14 anos.

 

ISO 21/18 ISO 14/11
Partículas > 4 mícron/ml 10000 – 20000 80 – 160
Partículas >14 mícron/ml 1300 – 2500 10 – 20

 

Limpeza do lubrificanteFigura 6 – Óleo em sistema hidráulico com diferentes Nível Geral de Limpeza (Código de Contaminação de Partículas Sólidas ISO 4406:1999).

Estão as bombas de recalque dos sistemas hidráulicos ou dos sistemas circulatórios de nossas plantas industriais ou em nossos equipamentos móveis bombeando óleo lubrificante ou mistura abrasiva?

Figuras 7/8 – Bombas de óleo lubrificante dos sistemas hidráulicos e mancais de rolamento estão usando mistura abrasiva?

Segundo o estudo em questão, a vida útil em serviço em mancais de rolamento lubrificados por sistemas de circulação a óleo e bombas de recalque em sistemas hidráulicos aumentarão significativamente com a melhoria no Nível Geral de   Limpeza do fluido lubrificante ( redução na concentração do material particulado sólido abrasivo ). Em função do exposto, conclui-se que vale muito a pena investigar a situação dos sistemas de filtração de fluido hidráulico e circulatórios de óleos lubrificantes com vistas à remoção do material particulado sólido abrasivo causador avarias catastróficas e indisponibilidade de ativos móveis e industriais.

Outros artigos do Autor

Limpeza do lubrificante é fundamental para os sistemas hidráulicos

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...
graxas lubrificantes

3 Dicas para uma boa seleção de graxas

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...

Boroscopia: ferramenta útil na inspeção de motores de combustão interna

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...

Como proteger equipamentos inativos contra a corrosão e ferrugem

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...

Quando se utilizar lubrificantes sólidos?

Marcos Thadeu Lobo Engenheiro Mecânico Graduado Pela Universidade Estadual De Campinas ( Unicamp ) em 1985. Ingressou na Petrobras Distribuidora S/A em 1986 como profissional...