IGP-M passa a subir 2,06% na 2ª prévia de dezembro com pressão de bovinos, diz FGV

40

Prévia do IGP-M

SÃO PAULO (Reuters) – Os preços no atacado subiram com força e ajudaram o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) a subir 2,06% na segunda prévia de dezembro, depois de cair 0,01% no mesmo período do mês anterior, informou a Fundação Getulio Vargas nesta quarta-feira.

Os dados mostraram que o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, voltou a subir no período, a uma taxa de 2,85%, ante queda de 0,06% em novembro.

O maior destaque

O maior destaque entre os preços do atacado foi o grupo Matérias-Primas Brutas, que deixou para trás queda de 1,11% para saltar 5,22% este mês. A aceleração na alta dos bovinos — de 4,27% em novembro para 22,01% — foi uma das principais colaboradoras para esse movimento.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30% no índice geral, também pressionou na segunda prévia de dezembro, acelerando a alta a 0,74%, de 0,03% anteriormente.

Contribuindo para esse avanço estavam os grupos Alimentação — que abandonou queda de 0,26% para subir 1,94% este mês — e Despesas Diversas, que acelerou seu salto de 0,22% para 3,09% em dezembro. Mais uma vez, a carne bovina pesou sobre os preços, apresentando alta de 15,40% ao consumidor, ante 2,60% no mesmo período de novembro.

INCC

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), por sua vez, registrou estabilidade este mês, sobre alta de 0,24% na segunda prévia de novembro.

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

A segunda prévia do IGP-M calculou as variações de preços no período entre os dias 21 do mês anterior e 10 do mês de referência.