Home Notícias Lubrificantes Vendas em postos de troca de óleo em ascensão nos EUA

Vendas em postos de troca de óleo em ascensão nos EUA

183

troca de oleoAs vendas nas lojas especializadas em troca de óleo e lubrificação, nos Estados Unidos, alcançaram US$ 6,3 bilhões em 2018, 4% acima dos US$ 6,1 bilhões do ano anterior, segundo um relatório publicado em conjunto pela Auto Care Association e pela Automotive Aftermarket Association.

O relatório, conhecido como modelo de previsão de canal, inclui históricos de vendas e previsões para uma variedade de categorias de pós-vendas automotivas. O relatório prevê que as vendas dessas lojas cresçam em uma taxa anual composta de 3,6%, de US$ 6,1 bilhões em 2017 para US$ 7,2 bilhões em 2022. As vendas cresceram a uma taxa anual composta de 3,8%, de US$ 5,2 bilhões em 2013 para US$ 6,3 bilhões em 2018. Isso está de acordo com a taxa de crescimento da indústria global de cuidados automotivos de 2013 a 2018 de 3,8% e com o projetado de 3,4% até 2022.

Um canal de troca de óleo em crescimento

As vendas médias por loja de lubrificantes nos Estados Unidos alcançaram um aumento de 4,8% em relação a 2017. No período de cinco anos de 2013 a 2018, a média de vendas por loja de lubrificantes cresceu Taxa anual composta de 4,2%.

Citando uma estimativa preliminar do US Bureau of Labor Statistics, a “previsão de canal” revelou que o número de lojas de troca de óleo e lubrificação nos Estados Unidos ficou em 7.301 em 2018. Isso representa uma queda de 0,7% em relação a 7.354 em 2017. O número declinou a taxa anual de 0,4% de 2010 – quando atingiu 7.518 – até 2018.

O modelo de previsão de canal segue o Sistema Norte-Americano de Classificação Industrial, que define lojas de troca de óleo automotivo e lubrificação como estabelecimentos dedicados principalmente à troca de óleo de motores e lubrificação de chassis de veículos automotivos. O sistema é usado para estatísticas econômicas federais baseadas em estabelecimentos classificadas pela indústria nos Estados Unidos, México e Canadá.

As três principais fontes de dados usadas como entradas no modelo de previsão de canal são dados do Censo Econômico dos EUA, Industrial Marketing Research Inc. e IHS Markit Inc. – para dados econômicos, bem como dados do setor fornecidos por seu grupo automotivo, que inclui o antigo RL. Polk.