Veja como é dirigir no novo sistema TESLA de condução autônoma

169

TESLA MOTORS e o novo sistema de condução autônoma.

Aos poucos os carros estão-se convertendo em verdadeiros e sofisticados sistemas computadorizados com rodas. Essa não é uma visão para um futuro , mas sim, uma implementação que a TESLA já está colocando em prática neste ano.

A administração da Tesla Motors anunciou que a marca terá o seu sistema de condução autônoma plena, de fábrica, em todos os seus modelos já a partir de outubro de 2016.

Isto significa que a partir desse momento os novos carros produzidos pela empresa incorporarão: um novo radar frontal dotado de oito câmeras digitais de alta resolução que farão uma varredura eletrônica em 360 graus e com alcance de 250 metros. Além disso, os veículos também contarão com 12 sensores ultrassônicos e um processador 40 vezes mais potente que aquele do Autopilot que gerenciará toda a condução autônoma dos carros.

De acordo com a Tesla, esse conjunto é suficiente para atingir o nível 5 de automação veicular, o máximo em que um carro poderá chegar. Isso significa que o veículo rodará em qualquer condição climática durante o dia e a noite, além de conduzir-se por qualquer via. Todos os itens estão embutidos plenamente no design dos carros.

Apesar dos carros já feitos a partir de outubro contarem com a tecnologia de condução autônoma, o sistema não estará operacional até por volta de 2018. De acordo com Eron Musk, é necessário que essa frota que está saindo de montadora, faça uma leitura do ambiente em que estará rodando no período.

Cada carro registrará diariamente os dados da condução do motorista, do tráfego e do próprio ambiente. Esses dados serão armazenados na rede da Tesla para a criação de um banco de dados de orientação, previsto para estar plenamente operacional a partir de 2018. .

Críticas

Embora esteja dando um passo à frente no mercado automotivo mundial em direção à condução autônoma, Elon Musk não escapará das críticas. A Tesla já era criticada por introduzir características de condução autônoma em seus carros antes mesmo da tecnologia ser provada em nível de segurança mais amplo. Mesmo assim, Musk continua seu plano de atingir a condução autônoma plena, pois só assim muitas vidas poderão ser salvas no trânsito, segundo o executivo. Ele fala em 1,2 milhão de mortes no trânsito global anualmente e todas com o condutor ao volante.