ArcelorMittal é pioneira na produção de etanol a partir de gases de alto-forno

150
transformação de gases em etanol
Foto cortesia da ArcelorMittal

Transformação de gases em etanol

Transformação de gases em etanol – ArcelorMittal, colosso mundial nos setores de aço e mineração, celebrou um avanço notável com o início da primeira produção de etanol em escala industrial a partir dos gases emitidos por altos-fornos. Iniciada em 7 de novembro, esta inovação pioneira inaugura uma era inédita no aproveitamento de subprodutos industriais, contribuindo significativamente para os esforços de descarbonização em escala global.

Na fábrica localizada em Ghent, Bélgica, ocorre esta revolução tecnológica. A instalação conseguiu integrar com êxito biorreatores que transformam os gases de alto-forno em etanol. Esta conquista não só reflete o comprometimento da ArcelorMittal com a sustentabilidade, mas também representa um marco potencialmente transformador para a indústria siderúrgica. A unidade tem a capacidade anual de produzir até 80 milhões de litros de etanol por ano, suprindo quase metade da demanda belga atual por este tipo de etanol para mistura em combustíveis, o que evidencia o impacto substancial do projeto.

O etanol gerado em Ghent tem uma gama versátil de aplicações, desde combustíveis sustentáveis para transportes, passando por materiais de embalagem, até perfumes cosméticos. Esta variedade ressalta o potencial da tecnologia na diminuição da pegada de carbono em diversas indústrias.

O percurso da ArcelorMittal neste projeto inovador contou com a colaboração de vários parceiros estratégicos. LanzaTech, Primetals Technologies e E4Tech tiveram papéis cruciais, além do suporte financeiro proveniente do programa Horizonte 2020 da União Europeia e do Banco Europeu de Investimento. O governo flamengo também ofereceu apoio ambiental vital por meio da VLAIO, a Agência Flamenga para a Inovação e a Empresa.

A LanzaTech, parceira destacada neste empreendimento, é renomada por sua tecnologia de reciclagem de carbono, que captura gases ricos em carbono de indústrias de alto consumo energético, impedindo sua emissão na atmosfera. A parceria com a ArcelorMittal exemplifica como a simbiose industrial pode acarretar benefícios ambientais significativos.

A Primetals Technologies, sediada em Londres, Reino Unido, e a E4tech, consultoria especializada em energia sustentável, também contribuíram de forma decisiva para o êxito do projeto.

Esta iniciativa da ArcelorMittal transcende a mera produção sustentável de aço, representando um grande avanço rumo a um futuro mais verde. Com receitas de US$ 79,8 bilhões em 2022 e operações em 60 países, a ArcelorMittal não só lidera o setor siderúrgico, mas também está pavimentando o caminho para um mundo mais sustentável. Este projeto é um reflexo da visão da empresa em produzir aços mais inteligentes, que beneficiam tanto as pessoas quanto o planeta.