Excesso de oferta no mercado global de óleos básicos em 2023

999
Português
Español/Castellano
English

Mercado global de óleos básicos
Mercado global de óleos básicos

Mercado global de óleos básicos – A equação de oferta e demanda de óleos básicos continuará inclinada para o excesso de estoques em 2023. Nos últimos 10 anos, a capacidade global de produção de óleos básicos esteve maior que a demanda. Contudo, entre 2020 e 2022, a oferta disponível esteve mais restrita devido ao aumento das interrupções no fornecimento. O cenário deve voltar à normalidade histórica neste ano.

Essa menor oferta foi uma consequência da pandemia de Covid-19 e das tensões geopolíticas. Na medida em que a oferta e a demanda se normalizam, as expectativas de retorno de um cenário de excesso de oferta aumentam devido aos fundamentos do mercado e às condições econômicas mais desafiadoras. Espera-se que muitos desses volumes excedentes tenham como alvo a América do Sul.

Globalmente, a inflação está no maior patamar das últimas décadas. Os bancos centrais globais, liderados pelo Federal Reserve (Fed, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, estão buscando o aperto monetário mais agressivo em gerações. Uma recessão agora é cada vez mais esperada nos EUA e na Europa, de acordo com economistas do Deutsche Bank.
Sanções mais rígidas da União Europeia (UE) a derivados de petróleo produzidos na Rússia tornarão os movimentos de oferta global mais desafiadores em 2023.

Depois que o conflito Rússia-Ucrânia começou no fim de fevereiro de 2022, muitos compradores reagiram rapidamente e restringiram as importações de óleo básico russo antes das sanções oficiais da UE aos produtos petrolíferos.

As entregas de óleo básico para os portos do Báltico caíram significativamente. Este é o principal mercado de exportação de óleo básico russo para a Europa. Sanções sobre pagamentos a bancos russos e a pessoas que moram na Rússia, bem como proibições de remessas, também agravaram a queda nas exportações para a Europa.

Desde então, os produtores de óleo básico russo encontraram saídas alternativas para a produção, reorientando seus fluxos para o mercado doméstico russo e para mercados como Turquia, Índia e América Latina.

Desde fevereiro do ano passado, os embarques russos para a Turquia aumentaram significativamente. Isso porque o governo turco não impôs nenhuma sanção ao óleo básico russo.

As importações de óleo básico russo do Grupo I aumentaram 60% no período de janeiro a outubro de 2022 em relação ao ano anterior e mais que dobraram em comparação com o mesmo período de 2020, segundo dados do governo.

A partir de 5 de fevereiro, a UE implementará um embargo total aos produtos petrolíferos russos. As seguradoras também não fornecerão mais cobertura para embarcações que transportam esses produtos de portos russos no Mar Báltico. Os prêmios de risco de guerra também não cobrirão mais os movimentos para fora do Mar Negro. Espera-se que isso restrinja os movimentos de óleo básico dos portos russos no Báltico. Mas isso não deve impedir os embarques da Rússia para os portos turcos no Mar Negro.

Os navios de origem russa poderão transportar óleo básico através do estreito de Bospherous para descarregar nos portos do sul da Turquia com a documentação adequada. A proibição de seguro essencial também afetará as cargas russas destinadas aos mercados da África Ocidental.

Além dessas novas complicações para mover a produção russa para mercados como a América do Sul, as atuais complicações de remessa, escassez de contêineres e altas taxas de frete continuam a restringir os embarques de exportação da Rússia.

Margens globais de óleo básico com tendência de alta para o diesel podem levar a uma demanda maior de óleo básico depois que o embargo total da UE aos produtos petrolíferos russos entrar em vigor.

Mas as ramificações completas dessa proibição dos fluxos comerciais globais ainda não estão claras.


Clique na imagem abaixo e leia a versão completa do artigo “Excesso de oferta no mercado global de óleos básicos em 2023” na revista digital “LUBES EM FOCO – edição 87” :