Toyota corta 40% da produção de novo, por falta de chips e peças

Montadora japonesa vai reduzir seu volume mundial pelo segundo mês consecutivo

12

 

Toyota corta produção

Toyota corta produção

Toyota corta produção – A Toyota anunciou na sexta-feira, 10, que vai deixar de produzir 330 mil veículos em outubro, o que representa um corte de 40% na sua produção mundial. Em vez das 880 mil unidades previstas para o mês, só deverão sair das linhas de montagem 550 mil veículos.

É o segundo mês consecutivo em que a Toyota reduz a expectativa de produção global: a empresa disse no mês passado que também cortaria 40% do total de setembro, o que significaria uma perda de 360 mil unidades na época. No entanto, a marca refez as contas e elevou as perdas de setembro, que subiram para 430 mil.

Com isso, a montadora afirmou que desta vez não conseguirá mais repor a diferença até o final deste ano fiscal (que termina em março) para manter sua meta de atingir os 9,3 milhões de veículos (incluindo modelos Toyota e Lexus). Com o segundo corte na produção, a nova estimativa é fechar o ano com 9 milhões.

Segundo o gerente de compras globais da ToyotaKazunari Kumakura, o corte na produção deve-se aos problemas com as cadeias de abastecimento provocados pelos surtos contínuos da Covid-19 no Sudeste Asiático, que estão paralisando as fábricas dos fornecedores. Ele disse que o maior impacto foi na Malásia, seguida pelo Vietnã.

Desta vez, a escassez atinge vários componentes, com maior destaque para semicondutores e chicotes elétricos. “As operações estão se recuperando lentamente, mas ainda levará tempo para produzir peças acabadas. Não podemos dizer com certeza quando veremos uma recuperação”, afirmou Kumakura ao site Automotive News.

Apesar da queda do faturamento com a perda de veículos produzidos, a Toyota garante que vai manter sua estimativa de lucro operacional para este ano fiscal. De acordo com o diretor financeiro Kenta Kon, a explicação está no maior controle dos custos e na taxa de câmbio mais favorável.