Escassez de embalagens de vidro não afeta consumo de lubrificantes

70

embalagens de vidro

Embalagens de vidro

Ao longo do último ano, a falta de cerveja no mercado tem chamado a atenção dos consumidores e especialistas. O estudo mais recente da Neogrid, que mede a oferta de alimentos nas prateleiras dos mercados, apontou que o produto fechou 2020 com recorde de disruptura, apresentando 18,38% no mês de dezembro. Estes dados podem ser explicados, principalmente, pela escassez de embalagens de vidro, que tem afetado diferentes setores que utilizam este tipo de material e, em especial, o mercado de cervejarias.

Para entender o motivo da baixa oferta deste material, é preciso observar os novos hábitos de consumo adotados após o início da pandemia. A aplicação do isolamento social e, consequentemente, o menor número de pessoas frequentando estabelecimentos para o consumo do produto é um dos principais causadores desta disruptura apontada pela pesquisa.

Consequências para o setor de vidros e a falta de cervejas

É certo que existem diversos fatores que influenciaram essa queda que não estão diretamente ligados à pandemia, como a chegada do verão e o aumento no consumo, a falta de investimentos em tecnologias de produção, entre outros. No entanto, o fator que mais se destaca são os novos hábitos, pós COVID-19, visto que a oferta do produto sofreu quedas consecutivas durante todo o ano de 2020.

Desta forma, se detalharmos o novo perfil do consumidor podemos entender como estas mudanças afetaram o setor. Os bares, restaurantes e hotéis passaram a receber menos clientes, aumentando, assim, a retenção das embalagens retornáveis, devido à queda no consumo e sobras no estoque. Além disso, em casa, o consumidor passou a consumir mais e em embalagens não retornáveis, reduzindo substancialmente o volume de vidro reciclado e a indústria de produção do material.

Perspectivas do setor de vidros para 2021

Observando o cenário e o avanço do mercado neste sentido, a tendência é que o setor retome o crescimento e a disponibilização do produto ainda no segundo semestre de 2021. Alguns fabricantes de embalagens de vidro iniciaram investimentos na automatização e aquisição de novos equipamentos para aumentar a capacidade produtiva.

Além disso, a chegada e o avanço da vacinação da população contra a COVID-19 poderão significar o decréscimo gradativo das restrições de circulação e das medidas de isolamento social, a partir do segundo semestre, e o consumidor, consequentemente, tende a retomar os hábitos de frequentar mais bares, restaurantes, hotéis e eventos.

Setor de lubrificantes para o mercado de vidros

Apesar de pouco sabido, os lubrificantes estão presentes em todo o processo de desenvolvimento de embalagens de vidro, assim como em seus equipamentos, desde o silo de mistura das matérias primas até seu acondicionamento final. Embora tenha havido falta de embalagens de vidro para o mercado de cervejas, a venda de lubrificantes para este segmento não foi impactada, uma vez que as indústrias do setor, apesar da falta de matéria-prima, seguem trabalhando com sua capacidade máxima.

A importância dos lubrificantes nos equipamentos que abrangem todo o processo produtivo do vidro representa um dos mais severos desafios da lubrificação. Isto porque, a combinação de temperaturas extremas e altas velocidades requerem soluções inovadoras dos fabricantes de lubrificantes. Esses requisitos são essenciais em todos os estágios do processo de fabricação, por isso é necessário sempre atentar-se à utilização de lubrificantes de alta tecnologia e desempenho.

Por: Carlos Muchão – Fuchs Lubrificantes

#portallubes #lubrificantes #graxas #carros #automóveis #Motos #motocicletas #caminhões