Mercado brasileiro de lubrificantes tem reação surpreendente em 2020

690

mercado brasileiro de lubrificantesMercado brasileiro de lubrificantes 2020

O mercado brasileiro de lubrificantes mostrou seu poder de recuperação, no segundo semestre de 2020, chegando ao final do ano com um volume total de 1,350 milhão de metros cúbicos. A grande surpresa ficou por conta da relação com o ano de 2019, apresentando uma queda de apenas 1,0%, beirando à estabilidade. O mercado em abril havia sofrido uma queda de 44%, o que proporcionou uma expectativa de queda mais acentuada ao final do ano, que não ocorreu.

Cabe lembrar que no ano de 2019 o mercado brasileiro de lubrificantes apresentou um crescimento bastante significativo de 34% em relação a 2018, o que potencializa mais ainda o desempenho de 2020, um ano marcado pelas paralizações devido à Pandemia da Covid-19.

Os números consolidados pela revista Lubes em Foco consideram o ajustamento da publicação oficial da ANP com as informações das principais empresas do mercado, juntamente com uma análise especializada de técnicos do setor.

Participação de mercado

A disputa pela liderança do mercado continua acirrada, com pequena diferença a favor da ICONIC Lubrificantes que com 18,6% de participação de mercado, ficou ligeiramente na frente da BR Distribuidora que fechou o ano com 18,3%. A Moove (Cosan) veio em terceiro com 13,7% de participação, seguida da Shell com 9,9%,  e Petronas com 8,1% fecha o TOP 5 das distribuidoras.

Quando se amplia o olhar para as dez primeiras empresas do mercado, observamos a presença da YPF, Energis8, Ultrax Ingrax e Castrol, completando o quadro.

Óleos básicos têm recorde de importação

No caso dos óleos básicos, as refinarias brasileiras tiveram uma queda de produção em torno de 19,7%, com relação ao ano de 2019, e poderia ter sido muito maior se não tivesse havido uma retomada nos últimos dois meses para socorrer o abastecimento ao mercado interno.

As importações bateram recorde no ano com um total de 653.622 metros cúbicos, representando cerca de 48% das necessidades brasileiras.

A indústria do rerrefino manteve sua média de participação com 18% do mercado total de óleos básicos no Brasil.

Uma análise completa dos números do mercado brasileiro de lubrificantes estará na próxima edição da revista Lubes em Foco que deverá ser publicada ainda em fevereiro.