Projeto de refinaria prevê produção de básicos naftênicos no E.S.

347

mini refinaria

Mini refinaria no Espírito Santo

A EnP Energy Platform e o Oil Group trabalham em parceria para desenvolver projetos para construção da Refinaria Espírito Santo (RefinES) e da Fábrica Capixaba de Lubrificantes e Asfalto (LubCap), no Estado do Espírito Santo. Investimento deverá ser de R$1,5 bilhão.

Em entrevista exclusiva à revista Lubes em Foco, os diretores das duas empresas explicaram algumas particularidades do projeto.

O diretor de Estratégia em Engenharia da EnP, Tulio Machado disse que a RefinES terá capacidade inicial de 30.000 bbl/dia na primeira fase, podendo chegar a 50.000 bbl/dia após implementação da segunda fase do projeto. Já a LubCap será dimensionada para 3.000 bbl/dia na primeira fase, totalizando 5.000 bbl/dia na fase final.

Produção de lubrificantes será só de básicos naftênicos

O consultor da EnP e especialista em refino, Maucir Almeida, informou que a refinaria operará com uma torre de vácuo e hidrotratamento para o petróleo pesado capixaba, focando a produção de gasolina, diesel, diesel marítimo (MGO) e bunker (óleo combustível marítimo), conjuntamente com a  produção de óleos lubrificantes básicos naftênicos (Isovolt, NH10, NH20, NH140) e asfaltos, para atender parte da demanda latente por estes produtos na região, agregando valor ao óleo pesado produzido em terra (on-shore) no Espírito Santo.

De acordo com Bianca Silveira, Business Development da EnP, a instalação conjunta da planta de refino e lubrificantes promove um ganho de OPEX e CAPEX, sendo determinante para o sucesso técnico e financeiro do projeto.

Tulio Machado lembrou ainda que a EnP nasceu forte no Espírito Santo, principalmente devido ao potencial de óleo e gás do estado que, excetuando Rio de Janeiro e São Paulo, é realmente diferenciado no país. Além disso, levar esse petróleo de base naftênica para a Lubnor, no Ceará, para depois retornar ao centro consumidor no Sudeste já não seria economicamente produtivo.

Outros projetos de mini refinaria

Luiz Otávio Massa, diretor de Downstream do Oil Group lembrou a importância de ter parceiros como a EnP no Espírito Santo, e que o grupo também tem projetos com outros parceiros, com foco ainda voltado para combustíveis, como por exemplo, no porto de Açu, no Rio de Janeiro.

Além disso, o Oil Group tem mais quatro projetos de mini refinaria para o Brasil, sendo três no Nordeste e um em Campo Grande – Mato Grosso do Sul.

Massa comentou que uma mini refinaria tem a grande vantagem se ser mais rápida para implantar, com menos complexidade e mais automação, tornando-a mais eficiente e com baixo impacto ambiental.

Por causa da pandemia da COVID-19, os projetos tiveram uma pequena demora mas, de acordo com o diretor, o grupo possui um balanço de caixa eficiente para o momento e segue firme sua trajetória para a viabilização dos projetos.