Mercado Brasileiro de Lubrificantes tem queda de 44,6% em abril

310

Mercado Brasileiro de LubrificantesMercado Brasileiro de Lubrificantes

O mercado brasileiro de lubrificantes teve o pior mês de abril das últimas décadas, com uma queda de 44,6%, em relação a março, e quase 48% se comparado ao mesmo período do ano anterior. Com isso, o mercado fecha o quadrimestre com um recuo de 14,3% em relação a 2019,

A queda deveu-se basicamente à parada quase total da indústria automobilística e a interrupção da maioria das atividades econômicas devido à pandemia da Covid-19.

O recuo do mês de abril foi mais sentido no segmento de Ciclo Otto, correspondente aos automóveis de passageiros, que caiu 62,9% , seguido do Ciclo Diesel, ligado ao transporte pesado em geral, que apresentou queda de 50,7%, em relação ao mesmo período de 2019.

Já no quadrimestre, os segmentos de engrenagens e sistemas circulatórios e de pulverização agrícola, apesar das quedas em abril de 18,4% e 27,5%, mantiveram o aumento significativo que já estavam apresentando nos primeiros meses de 2020, em relação ao ano passado, com 86,9% e 47,8% respectivamente.

O segmento de óleos isolantes tipo B, ou seja, de base parafínica,  teve um crescimento do quadrimestre de 1,2% com referência ao mesmo período de 2019.

Continua válido dizer que a pesquisa da revista Lubes em Foco apresenta um volume de 384.520 m3 de vendas de lubrificantes no mercado, no primeiro quadrimestre de 2020, que fica um pouco diferente dos números apresentados pela ANP, principalmente no que se refere a números de grandes empresas. Essa pesquisa leva em consideração números obtidos diretamente com as grandes empresas e não os publicados pela ANP, para mostrar uma maior realidade com o mercado.

Em breve faremos uma “live” sobre o mercado de lubrificantes para ampliar as informações dessa pesquisa e detalhar mais os números apresentados.