Projetos de inovação para setor automotivo podem receber recursos pelo Rota 2030

    52

    Projetos de inovaçãoProjetos de inovação

    O Senai lançou o programa A3 – Alavancagem de Alianças para o setor Automotivo que irá selecionar projetos de inovação para receber recursos do Rota 2030. As inscrições devem ser feitas na plataforma do Edital de Inovação para a Indústria (https://www.portaldaindustria.com.br/senai/canais/edital-de-inovacao-para-industria/). Empresas da cadeia automotiva também podem se candidatar para receber consultorias gratuitas em produtividade, que utilizam técnicas de digitalização e de manufatura enxuta. Os interessados podem entrar em contato com a equipe do Senai no Paraná (https://www.senaipr.org.br/tecnologiaeinovacao/contato/) para obter orientações sobre o regulamento e auxílio para efetuar a inscrição.

    Senai no Rota 2030

    Por meio do Rota 2030 o governo federal isentou o imposto de importação de autopeças que não são produzidas no Brasil e, em troca, as indústrias depositam 2% do valor importado em um programa selecionado pelo próprio governo. O Senai foi habilitado para gerenciar o eixo de produtividade do Rota 2030. Agora, a instituição seleciona projetos para o desenvolvimento de novos produtos assim como as empresas que serão beneficiadas com os recursos. O Senai também vai ofertar cursos de pós-graduação em Indústria 4.0 para funcionários das companhias que depositaram valores no programa.

    Para Fabrício Lopes, gerente executivo de Tecnologia e Inovação do Sistema Fiep, o Rota 2030 é um importante programa de incentivo ao setor automotivo, principalmente no estado do Paraná, que tem uma cadeia automotiva relevante para a economia local. “Esse programa incentiva e conduz empresas para a pesquisa e o desenvolvimento. O Senai acredita que uma agenda de inovação resulta em uma indústria com manufatura mais avançada, criando mais empregos, movimentando a economia e gerando um círculo virtuoso”, afirma. “Aqui no Paraná, conseguimos apoiar as indústrias com inserções consultivas, desenvolvimento de pesquisa e inovação, promovendo competitividade, produtividade e eficiência de acordo com as demandas da Indústria 4.0”, complementa o gerente.

    Requisitos

    Para submeter projetos de inovação, as empresas devem acessar a plataforma do Edital de Inovação para a Indústria (https://www.portaldaindustria.com.br/senai/canais/edital-de-inovacao-para-industria/). Na modalidade Aliança Automotiva, as propostas devem ser apresentadas por um grupo formado por pelo menos três empresas e um dos 26 Institutos Senai de Inovação. Também podem fazer parte do grupo startups, universidades e centros de pesquisas, Institutos Senai de Tecnologia, entre outros.

    Os projetos devem ter custo entre R$ 2 milhões e R$ 8 milhões e abordar temas relevantes no eixo de produtividade para a indústria automotiva. O Edital de Inovação vai financiar 59,5% do valor total e o consórcio de empresas deve custear o restante, sendo que 20,5% serão recursos financeiros e 20%, econômicos.

    Indústrias interessadas em lançar desafios a startups podem submeter ideias na categoria Empreendedorismo Industrial, na qual grandes empresas apresentam temas para os quais desejam soluções inovadoras. As propostas de solução devem ter custo entre R$ 400 mil e R$ 600 mil, dos quais 59,5% serão cobertos pelo programa prioritário do Senai; 35,5% serão custeados pela empresa-âncora e 5%, pelas startups selecionadas. Estão disponíveis R$ 24 milhões para as duas categorias.

    Já empresas que desejam receber consultorias destinadas a aumentar a produtividade também podem se inscrever no site do Edital de Inovação, para o qual serão investidos R$ 12 milhões.

    Indústria 4.0

    É possível ainda receber consultoria para dar os primeiros passos na Indústria 4.0, a chamada digitalização. Os especialistas do Senai instalam sensores, que captam dados dos equipamentos, e coletores, que os armazenam. Por meio de tablets e celulares, os gestores podem acompanhar, em tempo real, o desempenho da linha de produção e, com isso, ter maior controle de indicadores do processo, antecipando-se a eventuais problemas. Com essas técnicas, a empresa pode ter um aumento de pelo menos 10% em sua produtividade.

    O Senai também vai ofertar cursos de MBI (Master in Business Innovation) em Indústria 4.0 para funcionários das empresas depositantes no seu programa. A formação destina-se a profissionais com ensino superior que executam atividades de tomada de decisão e liderança de equipe. Os cursos terão atividades a distância e imersões em cidades de cinco estados. Funcionários dos fornecedores da cadeia automotiva também participarão de oficinas em três temas: otimização, digitalização e inovação.

    O que é o Rota 2030

    O programa Rota 2030 é parte da estratégia elaborada pelo governo federal para desenvolvimento do setor automotivo. O objetivo é ampliar, de forma progressiva, a inserção global da indústria automotiva brasileira por meio da exportação de veículos e autopeças até que o país esteja inteiramente inserido e no estado das artes da produção de veículos automotores no mundo.

    A iniciativa possui três pilares: a fixação de requisitos para a comercialização de veículos novos produzidos no país ou sua importação; a concessão de benefício tributário à empresa que realizar dispêndios em P&D no país; e o regime de autopeças não produzidas, que isenta do Imposto de Importação a compra de autopeças sem produção nacional equivalente.

    As empresas beneficiárias do regime de autopeças devem escolher e aportar em um programa prioritário os recursos obrigatórios. A previsão é arrecadar R$ 1 bilhão em cinco anos. Foram selecionadas quatro instituições para realizar ações de melhoria na cadeia automotiva com esses recursos: o Senai, a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii); a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) e a Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep).