Com o PPI no Ministério da Economia, governo não enviará mais fast track para privatização de estatais

48

Fast trackFast track

BRASÍLIA (Reuters) – O governo Jair Bolsonaro não enviará mais ao Congresso projeto para criar um “fast track” para privatização de estatais, afirmou nesta quarta-feira o secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, Salim Mattar, justificando que isso não é mais necessário após a ida do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) para o Ministério da Economia.

Em coletiva de imprensa, a equipe econômica apresentou um cronograma de desestatizações que não previu a privatização dos Correios em dezembro de 2021 e da EBC em janeiro de 2022, destoando de documento exibido por Mattar em evento público recente, que incluía as duas empresas.

Questionado sobre a diferença, Mattar afirmou que a expectativa é que, com os estudos que estão ocorrendo no âmbito do PPI, as companhias possam ir “oportunamente” para o Programa Nacional de Desestatização (PND).