Iveco Daily chega renovado em 2020

Utilitário recebe mudanças no visual e fica mais seguro com aumento da eletrônica embarcada

63
Iveco Daily
Mudanças na linha Daily serão aplicadas para versões chassi-cabine, furgão e passageiros (foto: Mário Curcio)

Iveco Daily

A Iveco revela na Fenatran (de 14 a 18 de outubro no São Paulo Expo) a nova linha Daily de comerciais leves, formada por furgões, vans e chassi com cabine simples ou dupla. A renovação começou pela Europa em abril deste ano e as mudanças chegarão às concessionárias no Brasil na metade de 2020.

As mudanças vão além da nova dianteira, que reduz o arrasto aerodinâmico. O interior também foi alterado e a montadora aumentou a quantidade de eletrônica embarcada, agora com controles de tração e estabilidade e uma versão de freios ABS mais evoluída, além da função de economia de combustível (Eco Switch).

As versões van e furgão recebem agora de série sensores traseiros de estacionamento. As opções de passageiros passam a utilizar molas semielípticas. A Iveco promete também uma opção para 20 passageiros (20+1).

“Há mudanças pensadas para reduzir o custo de manutenção, como o para-choque dianteiro, que agora é dividido em três partes e conta com proteção extra em caso de pequenas colisões”, afirma o diretor comercial da Iveco, Ricardo Barion.

 

As novidades realizadas na linha Daily incluem novo painel com maior quantidade de porta-objetos, volante com base reta, ajuste de altura e comandos integrados para as versões mais completas.

Barion comemora o crescimento de 47% nas vendas desse segmento. Para 2020 ele estima crescimento total de 15% na soma de todos os segmentos, incluindo caminhões e ônibus.

Além das mudanças para a linha Daily, a Iveco também programa para o ano que vem a opção de câmbio automatizado para os caminhões Tector 9.190 e 11.190, lançados este ano com transmissão manual.

“Esse equipamento pode baixar o consumo de 5% a 7%. E reduz o custo de manutenção por atenuar o desgaste da embreagem. O preço ainda não foi definido, mas é provável um acréscimo de cerca de 10%, como em nossos concorrentes”, estima o gerente de gerenciamento de produto para a América do Sul, Alexandre Jordão.