Exportações russas de óleos básicos cresceram em 2016

226

As exportações russas de óleos básicos aumentaram 13% em 2016, devido a condições de mercado favoráveis na Europa e a um aumento da produção de óleos básicos dos Grupos II e III, de acordo com uma fonte do setor.

Denis Varaksin, gerente de vendas de óleos básicos e de cera da DYM Resources, em Berlim, prevê que as exportações russas de óleos básicos se estabilizarão para cerca de 1,1 milhão de toneladas em 2017, devido à Europa se tornar um destino mais popular e ao aumento de embarques da petroquímica russa Taneco, o único grande produtor de Grupo II e III no país.

“Em geral, as exportações russas de óleos básicos poderiam aumentar 4% em 2017”, disse Varaksin à Conferência Mundial de Óleos e Lubrificantes, realizada em Londres, em fevereiro. Ele também previu que os Grupos II e III serão responsáveis por 15 a 20 por cento desse volume.

exportações russas de óleos básicos
Refinaria da Taneco em Nizhnekamsk, Russia, inaugurada em dezembro de 2014, com uma unidade de hidrocraqueamento para fazer grupos II e III.

A refinaria da Taneco aumentou seus embarques para o exterior de Grupo II e Grupo III de 4.500 toneladas em 2015, para 85.000 toneladas em 2016, segundo a DYM. “Ela também planeja um lançamento em breve de um óleo básico de viscosidade 6 centistokes, além dos 4 cSt e 2,5 cSt que atualmente produz”, disse Varaksin.

Acionada em dezembro de 2014, a fábrica de óleo básico da Taneco, em Nizhnekamsk,tem capacidade para produzir 90.000 toneladas por ano de Grupo II e 100.000 t/ano de Grupo III. Além disso, a empresa planeja reiniciar sua usina de polialfaolefina de 10.000 t/ano, também em Nizhnekamsk, até o final do ano.

Enquanto muitas refinarias russas perderam presença no sudeste da Ásia, Índia e Emirados Árabes Unidos, as exportações da Taneco estão sendo enviadas para a Europa, que consumiu mais de 25% das exportações russas de petróleo em 2016, de acordo com a DYM.

Exportações russas de óleos básicos

Os exportadores russos de óleos básicos enviaram 323.000 toneladas através do Mar Báltico, 237.000 toneladas através do Mar Negro, 117.000 toneladas para a Ucrânia e 75.000 toneladas para a China em 2016.

“Os portos bálticos de Riga, Liepaja e Ventspils atraem a maioria das 323.000 toneladas exportadas através do Báltico. A Rússia exporta também alguma quantidade para a África Ocidental e Emirados Árabes, através do Mar Negro, mas a maior parte das suas exportações vai para a Turquia.

As refinarias russas usam contêineres flexíveis quando enviam através dos portos de Riga, Klaipeda e Novorossiysk “, disse Varaksin.

Os reguladores russos vão diminuir as taxas de exportação de óleos básicos de 40% para 30% das taxas de exportação de petróleo bruto, disse Varaskin.

“Isso ajudará os refinadores, depois de anos de condições de mercado desfavoráveis, causadas pela queda nos preços do petróleo, sanções e desvalorização do Rublo”, disse Varaksin, acrescentando que a demanda doméstica de óleo básico também poderia desempenhar um papel significativo, uma vez que a economia russa está apontando para uma ligeira recuperação em 2017.