Carros elétricos ficarão com 2,5% do mercado, diz EPE

154

Empresa de Pesquisa Energética (EPE)

AA Empresa de Pesquisa Energética (EPE) prevê um número de licenciamento de veículos leves de 4,4 milhões de unidades, em 2026. Desse total, a estatal estima que cem mil veículos, ou 2,5% do total de licenciamentos, sejam carros elétricos ou híbridos (elétrico mais gasolina).

Foram licenciados 2 milhões de veículos leves no país, dos quais apenas 1.091 elétricos ou híbridos.José Mauro Ferreira Coelho, diretor da EPE
EPE vê carros elétricos com fatia de 2,5% dos veículos leves em 2026
EPE vê carros elétricos com fatia de 2,5% dos veículos leves em 2026

Segundo José Mauro Ferreira Coelho, diretor da EPE, no ano passado foram licenciados 2 milhões de veículos leves no país, dos quais apenas 1.091 elétricos ou híbridos. Os dados foram apresentados em evento de lançamento do Caderno de Carros Elétricos, da FGV, no Rio.

De acordo com o diretor da EPE, o mercado de veículos elétricos e híbridos ainda encontra entraves como o custo das baterias, a infraestrutura de recarga e os preços dos veículos.

Carros elétricos: custos são obstaculo

O custo da bateria hoje ainda é um dos principais obstáculos para esse mercadoTatiana Bruce, pesquisadora da FGV Energia

Segundo Tatiana Bruce, pesquisadora da FGV Energia e uma das autoras do documento, o custo da bateria hoje ainda é um dos principais obstáculos para esse mercado. De acordo com a especialista, a bateria representa hoje um terço do custo total do veículo elétrico. Tatiana, porém, ressaltou que esse custo está em trajetória de queda. “Espera­se uma paridade com os veículos convencionais na próxima década”.

Segundo ela, o Brasil possui hoje 3.600 carros elétricos.

Reive Barros, diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), alertou que a principal preocupação da autarquia hoje é com relação ao custo da recarga dos veículos. “Nossa grande preocupação é que o custo da recarga seja assumido pelo proprietário do veículo” e não dividida pela sociedade, disse.