Túnel entre Chile e Argentina integrará América do Sul

Ligação subterrânea integrará os oceanos Pacífico e Atlântico

327

Túnel Água Negra

chile-arg
Via subterrânea vai cruzar a Cordilheira dos Antes

O túnel Água Negra, uma das obras de integração mais ousadas da arquitetura sul-americana, ligará a região de Coquimbo, no Chile, à província de San Juan, na Argentina. Além da integração binacional, esse projeto permitirá a conexão com Porto Alegre (RS).

A via subterrânea, que vai cruzar a Cordilheira dos Andes ligando os oceanos Pacífico e Atlântico, pretende impulsionar o comércio e o turismo dos países do Cone Sul (Chile e Mercosul). A planta do Água Negra consiste em dois túneis paralelos, cada um com duas pistas, num total de 14 quilômetros de extensão e 12 metros de diâmetro.

A cada 500 metros, existirão túneis transversais, de diferentes diâmetros, com galerias de ventilação e acesso de veículos leves. Engenheiros responsáveis estimam que a obra levará 10 anos para ser executada, desde a expropriação de terrenos até a conclusão. As vias vão passar a aproximadamente 500 quilômetros ao norte de Santiago.

Comércio sul-americano

Para o comércio sul-americano, será uma excelente alternativa de escoamento de produtos para o mercado mundial, principalmente os que precisam chegar aos países da Ásia-Pacífico. Estão previstos benefícios como redução de custos e facilidade de transporte para produção agrícola e mineral, carnes, laticínios, vinhos, azeites, entre outros.

Além do transporte de mercadorias, haverá também melhores condições de tráfego de passageiros, impulsionando o setor turístico da região. A altura do túnel vai garantir que veículos transitem no Chile e a Argentina durante o ano inteiro, inclusive na época das intensas nevascas do inverno austral, quando os automóveis tinham dificuldade de cruzar a fronteira.

A rota atual Mendoza-Valparaíso

A rota atual Mendoza-Valparaíso, em Paso Internacional Los Libertadores, também chamada Paso Cristo Redentor, geralmente é fechada por 30 a 40 dias durante o ano por causa do mau tempo. Com a moderna infraestrutura do Água Negra, o turista poderá aproveitar melhor essa região central da América do Sul, inclusive alugando um carro na Argentina para fazer o percurso em qualquer época do ano.

O custo da construção foi previsto em US$ 1,5 bilhão e os recursos serão financiados pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). As empresas e consórcios com propostas pré-qualificadas para a execução da obra já estão em processo de concorrência.