Controle de Qualidade – desafio constante dos lubrificantes

597

Controle de Qualidade – desafio constante dos lubrificantes

Controle de Qualidade - desafio constante dos lubrificantes
Controle de Qualidade – desafio constante dos lubrificantes

Nos dias de hoje, devido a um amplo mercado e à grande concorrência em diversos setores, podemos observar uma procura contínua pela melhoria da qualidade de serviços e produtos como fator de maior produtividade e diminuição de desperdícios, dentre outras inúmeras vantagens. Para demonstrar confiança nos resultados obtidos, os laboratórios buscam estabelecer sistemas de gestão da qualidade por meio de sua acreditação junto a órgãos certificadores.

O mercado brasileiro de lubrificantes tem enfrentado grandes desafios para se adequar às mudanças, considerando os avanços tecnológicos, as maiores exigências dos consumidores e, principalmente, a legislação vigente, controlada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O que se tem observado é, desde o começo de 2014, uma alta porcentagem de indeferimentos nas solicitações de registro de óleos lubrificantes, graxas e aditivos, que representam mais de 50% dos processos analisados. A introdução de novos parâmetros e novas exigências colocadas pela publicação da Resolução ANP 22/2014, que revogou a Resolução ANP 10/2007, aumentou consideravelmente o nível de qualidade de produtos e serviços no mercado, mas trouxe consequentemente novas obrigações a produtores, importadores e tercerizadores.

O desafio foi maior ainda para os pequenos players, que tiveram que se adaptar com investimentos e mudanças de procedimentos, principalmente na área de Controle de Qualidade.

Ensaios de laboratório: um ponto crítico

Os ensaios laboratoriais, embora não garantam de forma inequívoca o desempenho satisfatório do produto, pois apenas a aplicação prática demonstra o pleno funcionamento do óleo, permitem ter uma ideia satisfatória dos atributos do lubrificante e, portanto, são de extrema importância para o controle de qualidade e o registro necessário junto à ANP.

Existe uma série de ensaios mínimos que são requeridos e devem ser obrigatoriamente reportados para cada tipo de aplicação especifica.

Continuar lendo este artigo:

Capa Edição 56
Capa Edição 56