Primeira produção de isobuteno a partir da palha do trigo

468

A empresas Global Bioenergies e Clariant anunciaram a primeira produção de isobuteno, a partir de um composto hidrolisado de palha de trigo, na planta piloto industrial em Pomacle Bazancourt, Reims, França. Este sucesso é o resultado de uma colaboração iniciada mais de 18 meses, e foi possível por meio da combinação de processos das  duas empresas.

O processo de propriedade da Clariant permite a conversão de resíduos agrícolas em hidrolisados ricos em açúcar, enquanto o processo patenteado pela Global Bioenergies viabiliza a produção de isobuteno a partir de vários açúcares de grau industrial.

A Clariant produziu o hidrolisado de palha de trigo, ricos em açúcares não-alimentares de segunda geração, em sua fábrica de Straubing, na Alemanha. Esse hidrolisado foi convertido em isobuteno renovável, na planta piloto industrial da Global Bioenergies operada pela ARD, em suas instalações em Pomacle-Bazancourt. A ARD, que é propriedade de um consórcio de grandes agro-empresas francesas, é um centro de pesquisa e desenvolvimento colaborativo privado, no domínio da Biotecnologia e Química de base biológica.

A Clariant desenvolveu um processo que permite a extração dos açúcares, a partir de resíduos agrícolas. Estes açúcares, chamados de segunda geração (2G), são produzidos como hidrolisados. A planta pré-comercial da Clariant, em Straubing, pode fornecer grandes quantidades de tais açúcares e os transformarem em etanol, utilizando o processo de sunliquid®, com uma capacidade de produção de 1.000 toneladas de etanol por ano. A produção de isobuteno abre a porta para um uso mais geral de açúcares 2G, para além do mercado de etanol.

A Global Bioenergies desenvolve um processo que permite a produção de isobuteno de base biológica, por fermentação de vários açúcares de classe industrial. O Iso-octano, um derivado de isobuteno, é um aditivo ideal para gasolina. Ele tem, por definição, um índice de octanas de 100, associado a uma baixa pressão de vapor, duas características que asseguram o melhor desempenho do motor e menor impacto ambiental.

A Global Bioenergies tem investigado ativamente novas matérias-primas potenciais desde 2014. O sucesso desta abordagem, em escala de laboratório, foi anunciada em março de 2015, depois de uma primeira rodada de testes usando vários açúcares não-alimentares, incluindo amostras fornecidas pela Clariant. A Ampliação desta abordagem na planta piloto industrial Pomacle é um marco importante na direção de um processo integrado de resíduos agrícolas para a produção de isobuteno.

O resultado demonstra a maturidade, a complementaridade e a versatilidade dos dois processos, de acordo com Globais Bioenergies.