Lanxess absorve Chemtura por US$ 2,5 Bi

196

A Lanxess AG pretende formar um novo segmento de aditivos de desempenho e tornar-se um grande participante do mercado de aditivos para lubrificantes industriais, após o encerramento do processo de aquisição da Chemtura, por US$2,5 bilhões, em dinheiro, que já foi anunciado ao mercado. O acordo deverá ser concluído em meados de 2017, sujeita às condições e aprovações legais.

De acordo com os termos do acordo, os acionistas da Chemtura irão receber US$33,50, em dinheiro, por cada ação ordinária em circulação, o que corresponde a um prêmio de 18,9 por cento do preço de fechamento das ações, em 23 de setembro, quando seu valor era US$28,18. As diretorias de ambas as empresas aprovaram por unanimidade a transação.

O novo segmento de aditivos de desempenho seria constituído pela unidade de aditivos da Rhein Chemie, da Lanxess, juntamente com dois segmentos da Chemtura: aditivos para lubrificantes e os negócios de lubrificantes sintéticos para aplicações industriais, tais como geração de energia e aviação; além dos aditivos bromados retardadores de chama, o bromo elementar e os negócios com derivados de bromo.

Anno Borkowsky, chefe da Rhein Chemie Aditivos, observou que a Chemtura detém uma posição competitiva em aditivos para lubrificantes industriais e também fabrica os precursores e intermediários necessários. “Combinado com a nossa carteira própria de aditivos, seremos um dos principais fornecedores de lubrificantes industriais, e reforçaremos mais ainda a nossa competitividade, através da nossa cadeia de valor integrada”, disse Borkowsky, em um comunicado à imprensa.

A Lanxess, com sede em Colonia – Alemanha, indicou que espera que o mercado de aditivos para lubrificantes industriais cresça a uma taxa anual de 3 a 4 por cento, no médio prazo, impulsionado principalmente pelas exigências cada vez maiores, com respeito a desempenho e sustentabilidade ambiental dos lubrificantes.

“Com esta aquisição, estamos formando um campeão no campo dos aditivos e estamos fortalecendo nossa já rentável linha de produtos”, disse Matthias Zachert, presidente do conselho de administração da Lanxess, em um comunicado à imprensa. “Estamos significativamente construindo um posicionamento competitivo nos mercados de médio porte e aumentando nossa presença na América do Norte.”

A Lanxess observou ainda que cerca de 45 por cento da receita da Chemtura são gerados na América do Norte. Além de aditivos, óleos básicos sintéticos, lubrificantes especiais e graxas, o portfólio da Chemtura inclui uretanos e compostos organometálicos.