Método de Corrosividade ao Cobre

3468

Petróleos crus possuem compostos de enxofre que não são necessariamente retirados completamente no processo de refino. Alguns destes compostos podem apresentar ação corrosiva, independente do teor de enxofre total presente no produto avaliado.

O objetivo do método de Corrosividade ao Cobre é detectar a presença de compostos de enxofre que provocam ataque ao cobre, na avaliação relativa desta propriedade em derivados de petróleo.

O método consiste em expor uma lâmina de cobre de alto grau de pureza, com dimensões especificadas e devidamente polidas ao derivado que se deseja avaliar por tempo e temperaturas determinados. Ao final do ensaio a lâmina é limpa com solvente e a sua aparência comparada com o padrão ASTM de corrosividade de lâmina de cobre, que indicam o grau de corrosão.

O método de Corrosão ao Cobre também é utilizado para avaliar alguns tipos de aditivos de extrema pressão a base de enxofre e fósforo. Devido a sua função, estes aditivos efetivamente reagem com a superfície metálica em condições de lubrificação limítrofe, quando não há mais filme lubrificante.

O produto desta reação gera uma superfície friável que facilita o deslizamento das peças em movimento, reduzindo o desgaste. Este tipo de aditivo é muito utilizado em formulações de lubrificantes para engrenagens, tanto automotivas como industriais.

Cabe ressaltar, que o método de Corrosividade ao Cobre consta em especificações nacionais e internacionais, tanto para lubrificantes quanto para combustíveis. As condições de tempo e temperatura variam de acordo com o produto em questão: no caso de lubrificantes adota-se o ensaio por três horas a 100°C.

Leia o artigo completo na revista: