Química sustentável – ligações com gestão de resíduos

66

Química sustentável

Por: Newton Richa

Em seu artigo Sustainable Chemistry – A concept with important links to waste management (Química Sustentável – Um conceito com importantes ligações com gestão de resíduos), publicado em 2017, Henning Friege descreve a imensa abrangência deste novo campo e aborda os benefícios da integração da gestão de resíduos no conceito de Química Sustentável, para desenvolver soluções técnicas amplas levem em conta a reutilização e a recuperação de recursos.

O autor define Química Sustentável como um conceito abrangente que engloba o projeto, a fabricação e o uso de produtos e processos químicos eficientes, eficazes, seguros e ambientalmente benéficos, capaz de constutuir um instrumento importante para o atingimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentávelg da ONU, incluindo um grande número de metas relativas a produtos químicos e resíduos.

A Química Sustentável pode se tornar uma contribuição valiosa no gerenciamento de resíduos, uma vez que a reciclagem de resíduos e a recuperação de frações de materiais em resíduos, frequentemente, são severamente limitados pela composição química dos produtos usados. Essas restrições incluem componentes perigosos, plásticos com diversos aditivos, materiais compostos que não podem ser separados adequadamente, bem como metais presentes em dispositivos eletrônicos.

A Química Sustentável busca maior eficiência dos recursos e aumento da utilização de recursos renováveis derivados de resíduos, sem pôr em risco a produção de alimentos; a utilização de substâncias menos tóxicas e mais degradáveis em condições naturais (“benign by design”) e o projeto de produtos que permitam a reciclagem, evitando combinações inseparáveis de materiais (“design for recycling”).
A globalização econômica levou à aplicação dos produtos químicos na maioria dos países, gerando uma disseminação global de resíduos, quando os produtos chegam ao seu “End of Life”. Há uma disponibilidade global de produtos químicos perigosos em resíduos que foram usados como ingredientes, constituindo um desafio para a gestão de resíduos em todos os países.

Entretanto, existem alternativas para superação dos obstáculos presentes: fabricação de produtos químicos com menos resíduos perigosos; síntese e utilização de produtos químicos menos perigosos e não persistentes no ambiente; e projeto de produtos considerando a recuperação de recursos após o uso (“design for recycling”).
Em relação à fabricação de produtos químicos menos perigosos e ambientalmente benéficos, existem algumas regras práticas introduzidas nos anos 90, conhecidas como “Princípios da Química Verde” que incluem a prevenção de resíduos na produção, a síntese direcionada maximizando a economia de átomos e o projeto de produtos químicos e materiais mais seguros e menos tóxicos.

Leia o restante do artigo na revista LUBES EM FOCO – edição 72, apresentada abaixo: