Mercedes-Benz apresenta chassi elétrico para ônibus urbano

eO500U, primeiro modelo da marca desenvolvido no Brasil, está previsto para começar a ser entregue no ano que vem

323

 

Chassi elétrico para ônibus

Chassi elétrico para ônibus

A Mercedes-Benz dá seu primeiro passo na eletromobilidade no País ao apresentar na quarta-feira, 25, o eO500U, primeiro chassi elétrico da fabricante, 100% destinado às aplicações urbanas. O modelo, desenvolvido no Brasil com suporte da engenharia alemã, deverá estar disponível a partir de 2022, com o início da produção na fábrica de São Bernardo do Campo (SP).

O projeto começou por volta de cinco anos atrás e impulso com investimento de R$ 100 milhões, parte do ciclo de R$ 2,4 bilhões programados pela empresa para o período 2018-2022.

O inédito produto preserva características requisitadas para o transporte coletivo nas grandes cidades e ainda não atendidas em versões elétricas. Assim, o eO500U é do tipo Padron 4×2, para carrocerias de 13,2 metros de comprimento e capacidade para 83 passageiros, dos quais 29 sentados.

“O veículo é maior em relação à oferta de ônibus elétricos encontrada hoje no País, para carrocerias de 12 metros e 70 passageiros”, conta Walter Barbosa, diretor de Vendas e Marketing Ônibus da fabricante. “O modelo tem a mesma base tecnológica do conhecido O500 de piso baixo e as mesmas capacidades de carga e passageiros.”

Ainda que já apresentado, o novo chassi segue em desenvolvimento e, de acordo a Mercedes-Benz, começa a ser testado aqui a partir do mês que vem, após as validações feitas na Alemanha. A solução técnica aplicada ao chassi integra motor elétrico da ZF no eixo traseiro com potência máxima de 380 cv. O modelo poderá receber de dois a seis pacotes de baterias e entregará até 300 km de autonomia, além de recarga total em 2 horas e meia.

O lançamento do chassi também integrará um novo modelo de negócio, no qual estará comtemplado pacote de serviços. A fabricante prepara apoio para instalação de infraestrutura, gestão da energia e financiamentos. Afinal, a versão elétrica deverá custar de três a quatro vezes mais em relação ao chassi convencional a diesel. “A consultoria é fundamental para o operador tomar a melhor decisão”, resume Barbosa

A estimativa do diretor de vendas é de uma programação inicial de entregas 50 a 150 unidades já no ano quem. “É um volume distribuído em vários operadores de São Paulo com interesse de compra”, revela. “O êxito, no entanto, estará nos municípios que tem entendimento de tarifa pública e tarifa técnica”, completa se referindo a modelos regulatórios que não dependem apenas do valor pago pela população para cobrir os custos do transporte.

A estratégia de venda para eO500U, no entanto, não se aplicará somente às cidades brasileiras. As ambições da empresa enxergam potencial de exportação não só para os habituais mercados da América Latina, mas também Europa e Oceania.

 Foto: Mercedes-Benz/Divulgação