Produção de caminhões supera pela primeira vez as 10 mil unidades em um mês de 2020

Volume alcançado em outubro é 15,6% maior que o de setembro, informa Anfavea

46

Produção de caminhõesProdução de caminhões supera 10.000 unidades

Produção de caminhões – As fábricas de caminhões superaram pela primeira vez em 2020 o volume de 10 mil unidades produzidas em um único mês. O balanço da Anfavea, associação das montadoras, apresentado na sexta-feira, 6, mostra que as quase 11 mil unidades feitas no mês passado representam crescimento de 15,6% sobre o volume de setembro, que foi de 9,4 mil unidades.

Com relação a outubro do ano passado, há uma queda de 3,4%. No entanto, no acumulado do ano de dez meses, a queda é ainda maior, de 30%, com 69 mil caminhões produzidos neste ano contra os 98,7 mil do ano passado.

“Embora outubro tenha sido bom, com um volume quase próximo ao de mesmo mês de 2019, o desempenho do acumulado é o pior para o período desde 2017”, indica o vice-presidente da Anfavea, Gustavo Bonini.

 

O ritmo das fábricas está sendo puxado pelo mercado interno, uma vez que as exportações ainda seguem com volumes muito abaixo do potencial do mercado externo. Por aqui, as vendas de caminhões cresceram 8,2% em outubro sobre setembro, para quase 8 mil emplacamentos. Em dez meses, o País absorveu 70,7 mil caminhões novos, o que ainda representa uma queda de 15,5% sobre igual período de 2019.

“O mercado de caminhões encontrou uma estabilidade, está na casa dos 7 mil a 8 mil unidades nos últimos meses”, comenta Bonini.

Para 2020, a Anfavea estimou no início de outubro em sua revisão das projeções (leia aqui) que as vendas de caminhões encerrariam com um volume de 83,5 mil unidades, uma retração de 18% sobre o resultado de 2019.

Certamente, o segmento alcançará o volume, podendo ainda superá-lo, uma vez que faltam apenas 12,8 mil unidades, uma média de 6,4 mil emplacamentos para cada um dos dois meses restantes do ano.

Caminho da escola salva o setor de ônibus em 2020

Com quase 11,5 mil chassis de ônibus vendidos de janeiro a outubro, e embora este volume representa uma queda de 34% sobre igual período do ano passado, a Anfavea respira aliviada em não ter registrado um desastre no segmento. Segundo Bonini, quase metade dessas vendas foram para o programa Caminho da Escola, que por meio do FNDE, entrega ônibus escolares a munícipios para garantir o transporte de estudantes, principalmente em zonas rurais pelo País.

“Houve um crescimento pequeno em outubro e no acumulado, se não tivesse o Caminho da Escola neste ano, teríamos um número muito mais terrível”, acrescenta o vice-presidente da Anfavea.

No mês passado, os emplacamentos para o segmento de transporte não passaram de 1,4 mil unidades, aumento de 16,5% sobre setembro, mas uma queda de 33,4% na comparação com outubro de 2019.

Com isso, a produção ficou em 1,8 mil unidades em outubro, desta vez 7,8% a menos do que setembro. Em dez meses, as fabricantes de chassis montaram 15,7 mil unidades, 35,8% abaixo do mesmo acumulado do ano passado.