Scania e VW Caminhões e Ônibus colocam mais 8 mil em férias coletivas

Empresas param a produção em 30 de março, assim como as concorrentes Mercedes-Benz e Volvo

39
Scania e Volkswagen
Volkswagen Caminhões e Ônibus produz veículos comerciais em Resende, no sul fluminense

Scania e Volkswagen

As fabricantes Scania e Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) vão interromper suas linhas de produção a partir do dia 30 de março como medida para conter a propagação da Covid-19, causada pelo coronavírus. Com isso, cerca de 8 mil trabalhadores entrarão em férias coletivas, 3,5 mil da fabricante sueca e 4,5 mil da alemã.

As empresas seguem o caminho já tomado pela Mercedes-Benz, com cerca de 10 mil funcionários, e pela Volvo, com outros 3,7 mil trabalhadores. Juntas, as quatro empresas respondem por mais de 95% da produção de caminhões no País. Na Scania, as linhas de montagem ficam paradas em São Bernardo do Campo (SP) até 13 de abril.

“Nos últimos dias, medidas para conter a disseminação do Covid-19 impactaram parte da cadeia de fornecimento, o que nos leva a interromper a produção temporariamente”, afirma o presidente e CEO da Scania Latin America, Christopher Podgorski.

 

Na VWCO, a produção em Resende (RJ) tem retorno programado para 20 de abril, mas desde 19 de março a companhia cortou horas extras e cancelou expedientes aos sábados. O setor administrativo da empresa vai adotar o home office como forma de reduzir a circulação de pessoas pela fábrica.