Produção da Opep cresce em março após mínimas desde 2009

46

Produção da OpepProdução da Opep

LONDRES (Reuters) – A produção de petróleo da Opep cresceu em março depois de ter registrado o menor nível em mais de uma década no mês passado, com a Arábia Saudita aumentando a produção após o colapso de um pacto para redução de oferta liderado pelo cartel, o que compensou quedas na Líbia, Irã e Venezuela.

Em média, os 13 países da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) bombearam 27,93 milhões de barris por dia (bpd) em março, segundo pesquisa da Reuters, 90 mil bpd acima do nível de fevereiro.

Um acordo para restrições à oferta entre a Opep e outros produtores, aliança conhecida como Opep+, entrou em colapso em 6 de março, impulsionando uma queda nos preços, que já sofriam com impactos da epidemia de coronavírus. Desde então, o petróleo caiu para abaixo de 22 dólares por barril, menor valor desde 2002.

Embora a Arábia Saudita planeje aumentar sua produção após o fim do pacto com a Opep+, a produção da Opep não mudou muito porque acordos para exportação da produção de março já haviam sido fechados, disse a Petro-Logistics, que acompanha embarques de petróleo.

“A oferta da Opep em março ficou em geral inalterada frente a fevereiro, flutuando ao redor de mínimas recorde”, disse à Reuters o presidente da Petro-Logistics, Daniel Gerber. “As alocações de barris para março estavam travadas no momento em que o acordo da Opep+ colapsou em 6 de março.”

“Essa pode ser a calmaria antes da tempestade, uma vez que muitos países da Opep anunciaram uma maximização de sua oferta e exportações em abril. Os primeiros sinais mostram que os níveis de exportação de Arábia Saudita, Emirados Árabes e Kuweit estão começando a crescer”, acrescentou Gerber.

A Opep, a Rússia e outros produtores tinham acordo para cortar a produção em 1,7 milhão de barris por dia até o final de março, para apoiar os preços.

Os 10 países membros da Opep comprometidos com o acordo ainda cortaram além de suas metas em março, segundo pesquisa da Reuters. Eles atingiram 106% dos cortes almejados no mês, abaixo dos 128% em fevereiro.

Entre os países que elevaram produção, destaca-se a Arábia Saudita, com 100 mil bpd adicionais em março, embora alguns compradores tenham pedido para cancelar cargas devido à baixa demanda, disseram fontes do setor.