Coronavírus avança, mas ainda não impacta a produção de veículos no Brasil

Fábricas seguem com operação normal, mas adotam medidas preventivas

61

Coronavírus no BrasilCoronavírus no Brasil

A produção de veículos ainda não foi impactada pelo avanço do coronavírus no Brasil, que até a segunda-feira, 16, registrava mais de 230 casos confirmados do Covid-19. Diversas montadoras se pronunciaram sobre a situação e todas confirmam que a produção segue dentro da normalidade até agora, embora muitas fábricas já tenham adotado medidas de prevenção e orientações gerais a fim de conter a epidemia e preservar a saúde dos funcionários. Muitas das recomendações foram repassadas pela OMS, Organização Mundial da Saúde, e pelo Ministério da Saúde brasileiro.

Entre as ações já implementadas, todas as empresas consultadas por Automotive Business iniciam nesta semana o trabalho remoto – ou home office – em áreas administrativas nas quais é possível adotar o sistema. Na Renault, a orientação é de trabalhar em casa a partir da terça-feira, 17, para todos os funcionários das áreas administrativas de São Paulo e São José dos Pinhais (PR). A medida também está sendo adotada por empresas como General Motors, FCA Fiat Chrysler e a Mercedes-Benz.

“A medida [home office] é global e tem como objetivo reduzir a probabilidade de disseminação do Covid-19 entre colegas de trabalho, familiares e comunidade e, assim, contribuir para aliviar a pressão sobre os recursos públicos de saúde”, informa a GM em nota.

 

Para os que ainda vão ficar nos escritórios, grande parte das empresas orientam seus funcionários a evitar reuniões em grupos e utilizar os meios digitais para comunicação, tais como videoconferências e outras tecnologias a fim de evitar aglomerações. As montadoras também estão intensificando os serviços adicionais de limpeza e higienização nos postos de trabalho para aqueles que não podem realizar as atividades remotamente, além de orientar os empregados com relação a medidas de cunho particular, como evitar contato físico e manter distância mínima de um metro, lavar bem as mãos várias vezes ao dia e usar álcool gel frequentemente.

Muitas delas estão restringindo e/ou suspendendo as viagens internacionais, principalmente para áreas endêmicas, onde o surto é maior. Caso da Toyota que cancelou todas as viagens de e para países como a China, Taiwan, Coreia do Sul, Itália, Irã, França, Alemanha, Espanha, Japão e Estados Unidos. Viagens e visitas regionais também foram canceladas. A empresa acrescenta que está recomendando inclusive que seus funcionários evitem viagens particulares para essas regiões.

No Grupo Volvo, com sede em Curitiba (PR), em caso de pessoas que voltaram do exterior, a empresa reforça a importância de automonitoramento e isolamento por sete dias para funcionários que voltaram de viagens internacionais. A empresa informa que antecipará a vacina interna contra a gripe a fim de facilitar o diagnóstico em caso de outras viroses.

A Hyundai, que possui fábrica em Piracicaba (SP), informa que além das ações de orientações aos funcionários sobre reuniões e restrição de viagens, acrescenta que outras medidas adicionais podem ser tomadas conforme a evolução do Covid-19 e das orientações das autoridades de Saúde. Por enquanto, como todas as demais, a empresa de origem sul-coreana confirma que não há risco de falta de peças importadas neste momento.