Cuidados na filtração de um óleo ISO VG 450

77

Caso técnico interessante a ser analisado é o de planta industrial em que havia em operação redutores de velocidade com sistemas de lubrificação centralizada utilizando óleo lubrificante para engrenagens de base mineral (DIN 51517 Parte 3 CLP; FVA 54/7 > 10 ), grau de viscosidade ISO VG 460. Nesta planta industrial tentou-se, sem sucesso, visando a melhoria do Nível Geral de Limpeza do óleo lubrificante o uso de filtros no sistema de lubrificação do maquinário e, também, sistema de filtração off-line.
Óleos lubrificantes para engrenagens, de base e mineral ou sintéticos (DIN 51517 Parte 3 CLP; FVA 54/7 > 10 ) com grau de viscosidade ISO VG 460, demandam consideração detalhada para que os filtros utilizados no sistema de lubrificação ou em regime de filtração off-line possam ser eficientes e dar vazão ao fluxo de líquido.
A seguir, são citados alguns pontos que deveriam ser considerados com vistas a definir-se qual o tipo mais adequado de filtro para a mencionada situação:

1. Estado de filtrabilidade do óleo lubrificante
O estado de filtrabilidade do óleos lubrificante pode ser influenciado por fatores outros que não a Viscosidade Cinemática tais como:
a) Material particulado sólido presente em suspensão ou depositado no fundo do reservatório de óleo lubrificante.
b) Resíduos carbonosos insolúveis oriundos de degradação termo-oxidativa (ex. borras, lacas, vernizes ).
c) Presença de água em fase livre ou emulsionada.

Em função disto, a filtrabilidade do óleo lubrificante para engrenagens em questão deveria ter sido previamente avaliada através de análises-físico químicas ( ex. FTIR, Teor de Água, Número Ácido, Contagem de Partículas etc.)

2. Temperatura do óleo lubrificante a ser filtrado
Para uma adequada seleção do filtro de óleo lubrificante, é muito importante avaliar-se a Pressão Diferencial ( Delta P ) à temperatura de serviço do óleo lubrificante visto a Viscosidade Cinemática à temperatura de operação ser sensivelmente menor que à temperatura de 40 ºC, temperatura de referência em que se mede a Viscosidade Cinemática ( cSt ) segundo a norma técnica ISO 3448:1992.
Filtros de elevada eficiência possuem instalados no interior da carcaça metálica sensíveis válvulas by-pass que operarão em condição aberta caso sejam inadequadamente selecionados para uso com óleos lubrificantes de elevada Viscosidade Cinemática, como os do caso técnico em consideração.
Quando da entrada em operação do redutor de velocidades ou da sua operação às temperaturas muito frias de inverno, considerável volume do óleo lubrificante poderá ser dispensado ao circuito de lubrificação através da válvula by-pass ( condição de operação aberta ) do filtro de óleo lubrificante. É fato que, neste intervalo de tempo, o óleo lubrificante não estará sendo filtrado, mas à medida que a temperatura de serviço for se elevando e a Viscosidade Cinemática diminuindo maior percentual do fluxo voltará a passar pelo filtro de óleo lubrificante até que, por fim, todo o caudal de fluido lubrificante volte a passar pelo elemento filtrante.