Caoa Chery planeja fazer carro elétrico no País

Projeto está sendo desenvolvido para eletrificar um dos modelos já produzidos em Jacareí

94

CAOA Chery

Caoa Chery

Estão adiantadas as conversas das equipes de engenharia da Caoa Chery na China e no Brasil para a produção do primeiro carro elétrico da marca em Jacareí (SP). Segundo pessoas envolvidas no plano ouvidas por Automotive Business, o modelo ainda não foi definido, mas tudo indica que deverá ser um ou mais dos que já são feitos com motor a combustão na unidade paulista, QQ, Arrizo ou Tiggo 2, todos com versões elétricas já projetadas pela Chery que podem entrar na linha nacional até 2020.

Salão do Automóvel de São Paulo

Não por acaso, para despertar curiosidade e testar a reação dos brasileiros, as versões a bateria dos três modelos já foram apresentadas em suas formas finais ao público brasileiro no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro do ano passado. A Caoa Chery foi a fabricante que mais mostrou carros elétricos no evento, em seu estande foram exibidos o sedã Arrizo 5e, o SUV Tiggo 2e, o eQ (versão elétrica do subcompacto QQ) – todos candidatos naturais à fabricação nacional – e também o Eq1, este um subcompacto urbano já nascido elétrico, sem derivação com motor a combustão.

Powertrain elétrico

A produção de qualquer um dos três ou de todos eles com propulsão elétrica exigiria investimentos menores, pois as carrocerias já são produzidas em Jacareí, mas será necessário fazer um ramal na linha de montagem final, para onde seriam desviados os carros que irão receber o powertrain elétrico – em vez da motorização a combustão. Como se trata de sistema de alta tensão, por segurança, o conjunto de baterias e motor elétrico é necessariamente instalado e energizado somente na última etapa da produção, para evitar acidentes.

Caoa Chery
Tiggo 2e, Arrizo 5e (esquerda) e eQ: elétricos apresentados no Salão de São Paulo são candidatos naturais à produção nacional da Caoa Chery em Jacareí (SP)

Carros elétricos mais baratos do mercado

Os projetos prontos dos carros e esse arranjo produtivo no Brasil de custo relativamente baixo indicam que, muito provavelmente, a Caoa Chery poderá oferecer os carros elétricos mais baratos do mercado brasileiro. Até agora, as opções importadas são bastante caras. No Salão de São Paulo foram lançados modelos relativamente populares por preços elevados: Chevrolet Bolt (R$ 175 mil), Nissan Leaf (R$ 178,4 mil) e Renault Zoe (R$ 149 mil). Mais recentemente o importador da também chinesa JAC prometeu lançar aqui o elétrico E40 por R$ 130 mil.

Intenção da empresa

Há poucas semanas, ao falar sobre as várias ações que a empresa realiza desde a formação no fim de 2017 da sociedade no Brasil entre a chinesa Chery e o grupo brasileiro Caoa, no evento de lançamento do Tiggo 7 o CEO da Caoa Chery, Marcio Alfonso, não escondeu a intenção da empresa em entrar no mercado nacional de carros elétricos.

Acreditamos que precisamos entrar no mercado de carros elétrico e estamos na fase de definir com a Chery quais produtos vêm ao Brasil. Também fizemos um convênio com a USP para estudar a mobilidade urbana e entender qual veículo e qual tecnologia são adequados para o PaísMarcio Alfonso - CEO da Caoa Chery.

Não foi definido um prazo

Conforme relatos, o assunto “fazer carro elétrico no Brasil” tem ocupado boa parte das conversas semanais dos engenheiros da Caoa Chery, tanto em reuniões na sede do grupo em São Paulo como também em teleconferências com a matriz da Chery na China. Ainda não foi definido um prazo para o início da produção nacional, mas o “sentimento” é que a decisão deve ser anunciada até o fim deste ano, para começar a montagem das primeiras unidades em 2020. Novas informações devem ser divulgadas nos próximos meses.