Projeto Costurando o Futuro forma empreendedores no Paraná

487

O projeto Costurando o Futuro, idealizado pela Fundação Volkswagen, acaba de formar cerca de 200 novos empreendedores na região de Francisco Beltrão, no Paraná, nos cursos de corte e costura, empreendedorismo e design artesanal. A iniciativa visa a estimular o protagonismo e a autonomia por meio da capacitação profissional, impulsionando a geração de trabalho e renda em comunidades com índice de vulnerabilidade social.

Projeto Costurando o Futuro, da Fundação Volkswagen, forma 200 empreendedores no Paraná
Projeto Costurando o Futuro, da Fundação Volkswagen, forma 200 empreendedores no Paraná

Após o sucesso das primeiras turmas, nas cidades de São José dos Pinhais e Rio Branco do Sul, a iniciativa chega a 271 empreendedores certificados e mais de 64 produtos desenvolvidos, como bolsas, chinelos, nécessaires, entre outros acessórios.

No primeiro semestre de 2018, o Costurando o Futuro envolveu dez municípios do sudoeste paranaense, localizados na região de Francisco Beltrão: Ampére, Boa Esperança do Iguaçu, Manfrinópolis, Marmeleiro, Nova Esperança do Sudoeste, Pérola d’Oeste, Pranchita, Salgado Filho, Santa Izabel do Oeste e Santo Antônio do Sudoeste.

A seleção dos alunos foi conduzida pela Secretaria da Família e Desenvolvimento Social do Estado do Paraná (SEDS), com apoio dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) de cada cidade.

“Por meio do projeto Costurando o Futuro, conseguimos compartilhar conhecimento para o desenvolvimento pessoal e profissional dos participantes, criando alternativas de trabalho e renda e oferecendo plenas condições para formar seu próprio negócio como empreendedores sociais”, comentou Daniela de Avilez Demôro, Superintendente da Fundação Volkswagen e Diretora de Assuntos Jurídicos da Volkswagen do Brasil.

Nas oficinas, os participantes aprendem corte, costura e empreendedorismo para tornar a costura fonte de renda. Outro diferencial é o acesso a oficinas de design artesanal, para desenvolvimento da criatividade com matérias-primas recicláveis. Além do foco social e econômico, o “Costurando o Futuro” tem atuação ambiental ao contribuir para o reaproveitamento do descarte de tecidos automotivos.

Ao final do curso, os microempreendedores têm acesso a crédito subsidiado pela agência Fomento Paraná e contam com mentoria da Aliança Empreendedora, podendo integrar as redes já estabelecidas pelo Costurando o Futuro no Estado. Além disso, os formandos foram convidados a participar do concurso “Meu Negócio é Costura”, que reconheceu as melhores ideias de produtos sociais feitos com materiais sustentáveis.

“Minha família me apoiou muito quando soube que eu iria fazer o curso. Pretendo comprar uma máquina, costurar para fora e para minha família também. Quando a gente se dedica e corre atrás, consegue o que quiser”, comemorou Ediana Vieira Azeredo, futura empreendedora de Pérola d’Oeste.

O projeto tem o apoio da Aliança Empreendedora, responsável pela realização e acompanhamento técnico, da Burda Style, pelo curso de corte e costura, e da Badu Design, pelo design artesanal.

Fundação Volkswagen e Costurando o Futuro

A Fundação Volkswagen desenvolve iniciativas de atuação social e educacional com recursos provenientes dos rendimentos de um fundo constituído pela montadora alemã em 1979, além de apoiar tecnicamente algumas das ações de responsabilidade social da Volkswagen do Brasil. A Fundação compartilha a vocação de mover pessoas. Movimentos que diminuem as distâncias e geram mudanças, transformando potenciais em realidade.

O Costurando o Futuro abrange os três pilares da sustentabilidade: social, ambiental e econômico. O projeto oferece oficinas de corte e costura, gerenciamento e negócios para comunidades ao redor da Volkswagen do Brasil. Nas aulas, os participantes fabricam objetos como bolsas, mochilas, nécessaires, entre outros acessórios, com tecidos automotivos e uniformes usados por funcionários da empresa que seriam descartados.

Desde seu início, em 2009, o projeto já reutilizou mais de 76 toneladas de tecidos. A iniciativa surgiu no ABCD Paulista – onde está localizada a fábrica Anchieta da Volkswagen do Brasil. Em 2012, foi levada para São José dos Pinhais (PR) – onde a Volkswagen do Brasil também tem fábrica – e estabeleceu uma rede de costureiras que começou a desenvolver novos produtos e métodos de vendas.

A partir de 2017, por meio do programa Paraná Competitivo, acordo firmado entre a Volkswagen do Brasil e o Governo do Estado, foi expandido para demais localidades do Estado. (O Brasil Sobre Rodas)