Tanques de combustível: por que é importante medi-los

1171

Por que você deve medir os tanques de combustível todos os dias. O correto é fazer uma avaliação frequente do combustível, tanto no recebimento da carga quanto na venda do produto. Existe uma série de recomendações determinadas pela ABNT e ANP sobre a avaliação de combustíveis.

Por que você deve medir os tanques de combustível todos os dias
Por que você deve medir os tanques de combustível todos os dias

Mas por que medir os tanques todos os dias? Como deve proceder o revendedor, com o intuito de evitar perdas e garantir seus lucros? Leia nosso post e entenda mais a respeito!

Tanques de combustível: para respeitar às normas

Deve-se medir o volume do combustível no tanque subterrâneo, limitando a descarga em 90% da sua capacidade nominal ou 95% caso exista válvula anti transbordamento. Antes e durante a descarga, é preciso proceder algumas ações.

Como conferir se as escotilhas de entrada e válvulas de saída estão bem lacradas e obter informações sobre o produto e sua quantidade. O não cumprimento das normas pode resultar em multas durante as fiscalizações da ANP ou do INMETRO.

Conferir os produtos

Para analisar os produtos, é preciso possuir o material definido pela ANP: densímetros, termômetros e provetas específicas para gasolina, álcool e diesel. Pelas bocas de enchimento, é preciso checar se o combustível atinge a seta de conferência.

A amostra deve ser coletada para análise em uma proveta de 1000 ml. A quantidade deve ser mensurada no tanque do posto revendedor, com equipamento calibrado pelo padrão da Rede Brasileira de Calibração (RBC).

Os volumes devem ser anotados. É possível medir manualmente ou com um sistema automatizado — o importante é que a medição seja feita diariamente e os volumes vendidos também sejam aferidos.

Para apurar as causas de variações

Medir diariamente traz muitos benefícios para o revendedor, principalmente levando em conta os tempos de crise e a consequente redução na margem de lucro. Não se trata de medir somente para propósitos de fiscalização: lembre que cada gota de combustível perdida pode fazer muita diferença ao final do mês.

A ANP permite variações no estoque físico de até 0,6%. Acima disso e sem comprovação de comercialização legal do produto, cabe ao revendedor apurar as causas da variação. O controle diário do volume de combustível permite identificar as causas de variações acima de 0,6% ou mesmo abaixo desse limite, tais como:

  • Bombas de abastecimento descalibradas;
  • Evaporação;
  • Vazamentos nos tanques, linhas ou bombas;
  • Entrega incompleta;
  • Aparelhos de medição descalibrados;
  • Falhas nos encerrantes das bombas;
  • Presença de água nos tanques de combustível;
  • Preenchimento errado do LMC.

Quanto antes identificadas as causas e aplicadas as medidas corretivas, menores as perdas. Deverão ser tomadas também medidas preventivas, de forma a evitar que os problemas voltem a aparecer.

As estratégias certeiras de medição

Meça o nível de combustível diariamente, sempre à mesma hora (de preferência, no começo do dia ou no revezamento, quando o posto atuar 24 horas). Também realize, diariamente, a medição da unidade abastecedora.

Antes de medir, certifique-se que o caminhão não está abastecendo ou recebendo o produto (a medição deve ser feita somente 10 minutos depois de finda qualquer operação dos tanques de combustível para evitar as “ondas”, que podem provocar aferições erradas). Não deixe de medir o nível de água semanalmente. Recomenda-se ainda ter um mapa dos tanques de combustível, com especificações sobre:

  • Capacidade de armazenamento individual;
  • Produtos de cada um;
  • Localização das bocas de leitura;
  • Descarga de cada tanque.

Para melhor controle, confirme no LMC o nível de combustível no tanque. Use também gráficos de variações e sistemas automatizados. Com relação às vendas, mantenha o mesmo controle e sempre faça comparações entre volume de recebimento e de saída.